O maior crime está nas estradas e fronteiras com tráfico de drogas

Pedro Ribeiro


 

A presença das forças nacionais em São José dos Pinhais, uma escolha pessoal do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, tem provocado reações contrárias por expor a cidade como se fosse, efetivamente, uma das mais violentas do Estado e do país, o que não condiz com a realidade, avalia o especialista em segurança pública, coronel Sergio Malucelli. “Nós temos municípios mais vulneráveis, com índices assustadores de homicídios e violência. Um deles é Fo do Iguaçu”, observa.

Para o militar da reserva e hoje presidente da Fetranspar, se a intenção do ministro Moro for o de promover a integração das forças de segurança pública, a medida é acertada mas, se a iniciativa visar apenas uma ação para chamar a atenção da sociedade, é errada, pontua.  “ A escolha de São José dos Pinhais foi pessoal do ministro, sem qualquer base em pesquisa sobre municípios violentos no Estado”, disse.

As  forças de segurança pública do Estado deveriam ser preocupar mais com o aumento do tráfico de drogas e com as ações do crime organizado dentro dos presídios, diz o coronel da reserva. “As apreensões do grande volume de drogas em nosso Estado nos últimos meses nos levam a acreditar que o Paraná passou a ser rota do tráfico, especialmente com drogas provenientes de países da fronteira como o Paraguai. É preciso maior ação no combate ao tráfico nas fronteiras e maior fiscalização nas rodovias”.

A maioria da apreensão de drogas está sendo feita pela Receita Federal, o que sugere  falha no combate e fiscalização nas rodovias. Para Malucelli, é possível, inclusive, o envolvimento de agentes públicos. Em relação ao crime organizado, aponta que, embora o ministro Moro tenha direcionado lideranças para presídios diferentes, evitando a interação entre eles, destaca a necessidade de maiores investimentos em presídios, por há carência de mais de 10 mil vagas no Paraná para liberar as superlotações nas delegacias de polícia.

Malucelli, embora fora do governo, avalia a administração do governador Ratinho Junior dentro do que mostram as pesquisas, ou seja, boa e com sinais de melhora. Esta performance, explica, se dá em função dos anúncios de investimentos como R$ 40 bilhões nos três anos de governo, com participação da iniciativa privada e mais recentemente de R$ 350 milhões para aplicação em obras de infraestrutura, em especial rodoviária e portuária. “São metas ousadas e difíceis de serem concretizadas, mas não impossíveis”, observa o líder empresarial.

 

 

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.