Os trabalhos de Hércules para a epopeia de Ulisses

Pedro Ribeiro


Por Victor Duarte

Irmão de Ulisses Maia (PSD) e futuro secretário de Governo do segundo mandato do prefeito reeleito para o mandato 2021-2024 já teve papel importante nos quatro primeiros anos da gestão Maia
Eu não conheço Hércules Maia Kotsifas. Nunca tivemos a oportunidade um dedo de prosa, sequer, em meio a um café. Entretanto, apesar de não conhecê-lo, seu nome sempre é citado quando o assunto é a política local. Não passa despercebido por jornalistas, de iniciantes aos mais experientes, que cobrem a crônica política local e, claro, entre servidores municipais.

As opiniões são convergentes: Hércules é uma pessoa reservada. Dificilmente, alguém conversava com ele sendo da imprensa sobre assuntos da administração, até porque ele não exercia cargo formal na gestão Ulisses. Nesta semana, entretanto, quando ele foi oficialmente nomeado pelo irmão e prefeito de Maringá, a expectativa é que as conversas sejam mais constantes com o novo secretário.

Para elaborar esse perfil, conversei com diversas pessoas que conviveram de alguma forma ou tiveram algum tipo de contato com o Hércules, durante os quatro primeiros anos de mandato. Termino esse breve epílogo datando o início desta história em 1º de janeiro de 2017 como o começo dessa prosa.

OS MAIAS

Maringá, domingo, 1º de janeiro de 2017. A posse de Ulisses Maia, à época prefeito eleito pelo PDT, estava marcada para ser em praça pública, sucedida por um show da dupla Matogrosso e Mathias. As intempéries climáticas, entretanto, fizeram com que a cerimônia fosse deslocada para o Teatro Calil Haddad, onde os vereadores assumiram o cargo e votaram quem seria da mesa diretora nos dois primeiros anos da legislatura. O show foi adiado para às 21h30. No dia seguinte houve um culto ecumênico no Paço Municipal.

No discurso de posse, o prefeito cravou que enviaria à Câmara, também, no dia seguinte, dois dos projetos de lei que marcariam sua gestão nos quatro anos de sua administração: a Reforma Administrativa – que diminuiu o número de secretarias e de Cargos Comissionados – e o do Vale Alimentação dos servidores públicos municipais. No dia seguinte, de fato, as matérias foram enviadas, apreciadas pelo legislativo e aprovadas.

No prelúdio desse primeiro mandato – antes mesmo do envio dessas duas propostas de lei, ou do culto ecumêmico na manhã de segunda-feira, na prefeitura da cidade -, Ulisses já bradava a dificuldade da transição de governo, entre Roberto Pupim (PP) e ele. Se por um lado, a dita falta de transparência culminaria em uma série de CPIs (Comissões Parlamentares de Inquérito), logo nos primeiros meses de gestão Maia, o jogo administrativo estava já marcado por um consigliere: seu irmão Hércules Maia Kotsifas.

“Toda tomada de decisão passava por ele. Qualquer decisão importante que precisasse ser tomada pela administração, tinha participação dele. Só que ele só tinha o bônus de decidir e não ficava com o ônus das decisões, porque ele não tinha cargo na administração, não era servidor e nem havia sido eleito. Ainda assim, esse mandato foi do Hércules”, disse um ex-cargo comissionado da prefeitura.

Hércules é um homem discreto. Algumas pessoas preferem o adjetivo “introspectivo”. Quando chega aos lugares não faz alarde. Conversa com quem precisa conversar e não chama a atenção de ninguém. Na prefeitura, entretanto, toda vez que algo precisava ser decidido, lá estava ele, e isso lhe rendeu – entre as línguas da oposição – o apelido de “Homem Sombra”.

“Sua participação como conselheiro do prefeito Ulisses Maia é conhecida por servidores e quem acompanha a gestão. Teve influência decisiva em diversas questões administrativas, auxiliando o prefeito com informações, ideias e sugestões”, disse um jornalista que não quis se identificar e acompanha há anos a cobertura política da cidade .

A onipresença do irmão mais velho de Ulisses, sempre chamou a atenção dos servidores. O jeito dele, para alguns, soava pedante e um tanto quanto egocêntrico. Para outros era exemplo de discernimento e empatia. Comum. Amado por alguns, temido por outros. Mas isso não influenciou no trabalho que fez, afinal, ao fim de quatro anos, a resposta nas urnas garantiu um novo mandato como prefeito para Ulisses.

Hércules será nomeado como Secretário de Governo na próxima administração de seu irmão, pasta que substituirá atual pasta de Gestão. Sua indicação foi anunciada logo após sua aposentadoria de auditor fiscal da Receita Federal. Para quem viu um pouco da atuação de Hércules no Paço Municipal, ou para quem cobre o executivo maringaense, a indicação não causou nenhum tipo de estranheza.

“Ulisses fez certo em nomear o Hércules. Ele é o cara que coordenou a gestão desde o primeiro dia. Ele tinha que ser secretário. Tudo o que foi aprovado – ou não – na administração teve anuência dele”, disse o ex-cargo comissionado.

QUEM É HÉRCULES

Para falar sobre Hercules Maia Kotsifas, talvez, o correto seja começar pela carreira que ele teve como auditor da Receita Federal, sua graduação em Direito na UEM (Universidade Estadual de Maringá e sua pós-graduação. Aqui, entretanto, começaremos não pelo começo, tampouco pelo fim. Mas pelo meio.

Hércules Maia foi uma promessa da literatura paranaense. Em conversa com Miguel Sanches Neto – escritor, crítico literário e reitor da UEPG (Universidade Estadual de Ponta Grossa), uma indagação chamou a atenção do jornalista Victor Simião, da CBN Maringá: “E o Hércules? Onde está?”

A pergunta causou, em um primeiro momento, estranheza a Simião, que não associou o nome à pessoa. A confirmação veio com o sobrenome: Maia Kotsifas.

“O Miguel me disse que ele escrevia muito bem. O Miguel vive hoje em Ponta Grossa, mas ele é daqui do norte do Paraná. Acredito que o Hércules fazia parte de uma cena literária forte, daqui da região, na década de 80 ou 90. Contei que ele havia se tornado auditor fiscal. Acho que o auditor matou o escritor”, disse Simião, que coordena também o clube de leitura Bons Casmurros.

Leitor inveterado, ele era um proeminente escritor. Destacou-se, inclusive, na produção de roteiros e na dramaturgia. Os atos, coxias e ribaltas subverteram-se aos tecnicismo burocrático fiscal da Receita Federal, onde Hércules também traçou carreira.

“O que pouca gente sabe é que seu hobby preferido é a literatura. Leitor assíduo, também é escritor, tendo trabalhado como roteirista na Rede Globo, membro de um seleto grupo de profissionais na época áurea da rede e do seu domínio na teledramaturgia da televisão brasileira”, disse um outro jornalista que preferiu não se identificar.

Se ontem Hércules brilhou pelos rascunhos e definitivos da crítica literária paranaense, hoje enfrenta o misticismo – quase como antagonista, aos olhos da oposição – do apelido compulsório e “não autorizado”: o Sombra.

RELATOS ANÔNIMOS

Muito se fala. Muito se ouve. A redação do HojeMais buscou depoimentos de diversas pessoas que conviveram, ou ao menos tiveram contato, com Hércules Maia Kotsifas, durante os quatro primeiros anos de mandato Ulisses Maia. Alguns comentários otimistas, outros valem-se do ceticismo. Cá estão os depoimentos anônimos:

Presença em decisão
“Uma mulher, do setor de cultura, foi convidada para conversar com o Ulisses. Provavelmente, pleiteavam o nome dela para um cargo na Semuc [Secretaria Municipal de Cultura]. Entrevistaram ela: o Ulisses, o chefe de gabinete Domingos Trevizan e o Hércules. Ele não fazia parte de nenhuma esfera da administração e participava de reuniões como essa”.

No trabalho
“Toda vez que o Hércules ia até a prefeitura, alguém tinha que se levantar, parar de trabalhar e ceder o computador para ele. Essa pessoa, contratada em comissão pela prefeitura, só podia voltar a trabalhar depois que o Hércules terminava”.

Influência
“Sua participação como conselheiro do prefeito Ulisses Maia é conhecida por servidores e quem acompanha a gestão. Teve influência decisiva em diversas questões administrativas, auxiliando o prefeito com informações, ideias e sugestões. Esta é a parte conhecida do irmão do prefeito, que se tornou admirado por alguns e temido por outros na gestão 2017-2020”.

Novo cargo
“Pelo papel de conselheiro e assessor pessoal do prefeito, que desempenhou na primeira gestão de Ulisses Maia, a secretaria de Governo estará sendo ocupada por quem de fato conhece o funcionamento das secretarias e das diversas áreas da Prefeitura”.

O cara certo
“O que eu achei interessante de surgir o nome dele, é que ele é muito discreto. Introspectivo. Por isso achei que isso não ia acontecer. Ele foi o cara nesses quatro anos de gestão. Se, nesse período, ele não aprendeu como tocar uma cidade, ninguém mais aprendeu. Por isso, o cargo de secretário de Governo é tão certo para ele”.

EM TEMPO

O HojeMais Maringá tenta contato com Hércules Maia Kotsifas. A redação do portal enviou seis perguntas, através de um aplicativo de mensagens, para entender as expectativas do novo secretário para o cargo, visões políticas e culturais, bem como um pouco mais da biografia do irmão do prefeito. Até a publicação deste perfil, a reportagem não obteve resposta.

Victor Duarte de Faria é jornalista e editor do jornal HojeMais

https://www.hojemais.com.br/maringa/noticia/politica/os-trabalhos-de-hercules-para-a-epopeia-de-ulisses

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="736452" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]