Pagamento de propina a funcionários do IAP leva empresários à cadeia

Pedro Ribeiro

empresas investigadas

Dia desses um cidadão me ligou dizendo que tinha uma informação pesada contra um funcionário gabaritado (chefe) do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), mas que não poderia ter seu nome divulgado. Disse que precisava de uma licença para dar andamento nos trabalhos de sua empresa e quando ia atrás do documento, sempre havia uma desculpa, que dependia disso, daquilo… Certo dia, chegou no escritório do IAP, foi recebido pelo chefe que já foi lhe falando: olha… estou com um pouco de pressa… com problemas no banco…sabe como é… A cantada de propina foi na cara dura.

Nesta terça-feira, Os grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e Especial de Proteção ao Patrimônio Público (Gepatria), do Ministério Público do Paraná (MP-PR), prenderam seis empresários ligados a dois grupos de coleta de resíduos sólidos com sedes nos municípios de Araucária e Nova Esperança do Sudoeste. Eles estariam envolvidos em fraudes, com  pagamento de propinas a funcionários do IAP. As prisões fizeram parte da Operação Conteiner, em conjunto com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e apoio da Polícia Militar (PM).

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="539050" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]