Paraná faz a lição de casa e cresce em meio à pandemia

Pedro Ribeiro


 

“Há exemplos, na história de outros povos, de avanços rápidos no plano político após o despertar de uma longa noite de imobilismo, como se a sociedade fosse dotada de um inconsciente onde laboram forças criativas que ampliam o horizonte de possibilidades futuras.” – Celso Furtado

Luiz Cláudio Romanelli

Enquanto as autoridades do poder central ainda não apresentam propostas para reestruturar o País e retomar o crescimento mesmo em tempos de pandemia, podemos dizer, com propriedade, que a lição de casa está sendo feita aqui no Paraná.

Crescimento do PIB, recordes da safra de grãos, recordes de exportações via Porto de Paranaguá e investimentos em obras de infraestrutura, além da atração de novas indústrias e aumento na geração de empregos.

O PIB do Paraná somou R$ 128,92 bilhões no ano passado. O desempenho favorável ficou por conta do agronegócio, responsável por cerca de um terço do PIB paranaense. Houve crescimento de 2,3% no primeiro trimestre de 2020, na comparação com igual período do ano anterior, segundo cálculos divulgados pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes).

O PIB brasileiro apresentou retração de 0,3% no primeiro trimestre de 2020.  O resultado positivo do Paraná foi obtido principalmente pelo desempenho da agropecuária, que registrou aumento de 14,96%, puxado por uma supersafra de grãos de verão.

O Paraná não se descuidou das ações de combate à pandemia onde só a Assembleia Legislativa destinou mais de R$ 200 milhões para ampliação de hospitais, leitos, equipamentos e principalmente para a compra de vacinas, sem deixar de lado a obrigação da gestão pública que é investir na qualidade de vida da sua população.

Em meio ao desastre sanitário, o Estado anunciou a ampliação  dos  investimentos em mais de R $600 milhões para promover melhorias nos municípios. Na Assembleia Legislativa, o governador Ratinho Junior confirmou que negocia financiamentos de R$ 1,6 bilhão para aplicar em obras de infraestrutura.

O primeiro quadrimestre de 2021 foi o melhor na geração de empregos formais nos últimos 11 anos no Paraná. Foram abertos 87.804 novos postos de trabalho de janeiro a abril. Superamos em 26,3 % o melhor resultado nos primeiros quatro meses que havia sido em 2011.

Na outra ponta foram criadas 64 mil novas empresas, segundo a Junta Comercial do Paraná.

A produção industrial paranaense teve crescimento de 9% no primeiro trimestre deste ano, na comparação com os primeiros três meses de 2020.

Mais três grandes empresas do Brasil – Klabin, Gerdau e BRF – anunciaram recentemente investimentos no Paraná em um total de R$ 3 bilhões.

São R$ 2,6 bilhões da Klabin para a instalação de uma máquina de papel cartão; R$ 292 milhões da BRF para modernizar seis plantas agroindustriais; e R$ 55 milhões da Gerdau para retomar a produção de aço em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba. Esses só alguns dos exemplos.

A safra de grãos do Paraná deverá somar 42 milhões de toneladas. Este volume é 3% superior ao da safra passada e a área de 10,2 milhões de hectares também é 2% maior.

E o Paraná também acaba de conquistar a certificação de área livre de febre aftosa sem vacinação. Esta é uma luta de 50 anos do Governo do Estado e do setor agroindustrial que abre novos mercados para a nossa eficiente pecuária.

O Paraná está fazendo a lição de casa.

Luiz Claudio Romanelli, advogado e especialista em gestão urbana, é deputado estadual e vice-presidente do PSB do Paraná.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="767443" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]