“Penduricalhos” que elevam salários nos tribunais de contas

Pedro Ribeiro

 

Se não houvesse exagero e a farra não fosse tão explícita onde um simples servidor do “chefe” se aposentou com salário superior ao de um conselheiro, ou, perto de R$ 40 mil, até passasse desapercebido. Estamos falando sobre salários no Tribunal de Contas e o privilégio não é apenas do Paraná. Levantamento feito pelo Estadão mostra que, com os chamados “penduricalhos”, os tribunais de contas estaduais mantém uma série de pagamentos de benefícios que, como disse, ultrapassam os contracheques de conselheiros, auditores e procuradores que atuam junto ao órgão de fiscalização do dinheiro público, chegando a R$ 39,1 mil. Esses privilegiados ganham, portanto, mais que um ministro do Supremo Tribunal Federal, que o Presidente da República, deputado e senador. É claro, sem penduricalhos.

No Portal da Transparência o leitor poderá conferir os contracheques desses privilegiados. Segundo o jornal, tribunais de contas de todo o País encontraram exemplos de criação ou ratificação de benefícios, nos últimos anos, que elevam consideravelmente os salários. O Tribunal de Contas de Mato Grosso, por exemplo, paga um “vale-livro” anual que em janeiro chegou a R$ 70,9 mil. No Distrito Federal e Goiás, os tribunais incorporaram benefícios temporários aos salários.

Em Goiás, Conselheiros, auditores e procuradores recebem todos os meses um extra nos salários por alguma tarefa que desempenhem na área administrativa. Antes, o que excedia o teto era cortado. Após a nova resolução, o desconto parou de ser aplicado e o valor da gratificação passou a ser pago integralmente.

Sem falar, é claro, nas diárias que praticamente dobram o salário.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.