Perto de 30% dos empregados de Itaipu em Curitiba já moram em Foz do Iguaçu

Pedro Ribeiro


 

O processo de transferência dos empregados do Escritório de Curitiba para Foz do Iguaçu, iniciado em junho, por determinação do diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, atingiu o maior pico em setembro, com 22 pessoas transferidas no mês.

A adaptação dos empregados em Foz está ocorrendo de forma tranquila. A área de Recursos Humanos vem promovendo uma série de ações de acolhimento para receber os novos moradores da cidade, onde está localizada a usina e funciona o centro de comando da empresa.

Os empregados que trabalham na usina ou no Centro Executivo, por iniciativa própria, também estão preparando as boas-vindas de forma bastante humanizada, dando todo tipo de dica para que a adaptação seja a melhor possível.

“Com todos trabalhando aqui, a gestão fica mais eficiente, porque as pessoas estão próximas, podem tirar dúvidas e dar sugestões para a melhoria dos processos”, diz a secretária executiva da Diretoria Geral Brasileira, Rosimeri Fauth Martins.

Toda a Diretoria de Itaipu, margem esquerda, está lotada em Foz. O exemplo veio do próprio general, o primeiro diretor-geral brasileiro de Itaipu a morar em Foz, no exercício da função. Com a iniciativa, além da melhoria de gestão de processos, a empresa economiza com diárias e passagens nos deslocamentos de empregados.

Quantos faltam

Até agora, dos 142 empregados previstos para fazer a migração, 39 já estão em Foz do Iguaçu. Dos demais que trabalhavam no Escritório de Curitiba, como já estava definido, 11 aderiram ao Programa de Desligamento Voluntário; nove foram desligados; quatro eram requisitados e foram devolvidos aos órgãos de origem; um empregado pediu para sair; e quatro permanecerão em Curitiba, onde Itaipu manterá apenas um escritório de representação. Além desses, dois empregados são cedidos à fundação Fibra e um irá para o escritório de representação de Brasília (DF).

Os 76 empregados que permanecem na capital têm até o dia 20 de janeiro de 2020 para fazer a mudança. Para outubro, a previsão é de chegarem 14 profissionais; em novembro, outros seis; em dezembro, 26; e, em janeiro, os últimos 30.

Os dados foram apresentados nesta terça-feira, 1º, em Reunião de Diretoria, pela secretária executiva da Diretoria Geral.

Desmobilização do escritório

Entre 13 e 17 de janeiro começa o processo de desinstalação, embalagem e envio de equipamentos e telefones do Escritório de Curitiba para Foz. De 17 a 20, terá início a desmobilização da infraestrutura de tecnologia de informática. Já de 20 a 24, o mobiliário será desmobilizado.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="661353" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]