Pesquisa revela que fome no Brasil aumenta 85% em dois anos

Pedro Ribeiro


 

O deputado Luiz Cláudio Romanelli (PSB) classificou nesta quinta-feira, 7, como estarrecedores e muitos preocupantes os dados da pesquisa da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional que apontam para o crescimento da fome no Brasil. Em 2018 eram 10,3 milhões de brasileiros passando fome. Estes números saltaram para 19,1 milhões em 2020, ou seja, quase nove milhões a mais de pessoas nesta trágica condição.

Os exemplos disso, mostra o deputado, são imagens como as pessoas esperando o caminhão de ossos, em Cuiabá, e o aumento no consumo de pés de galinha. “Não podemos concordar com isso, porque o Brasil é um país rico, com oportunidades para todos. Basta, no entanto, que o governo federal crie um efetivo plano para colocar fim à fome no país. E não é com o aumento do gás de cozinha, cujo botijão já passa de R$ 100”, disse.

Romanelli argumenta que este aumento de 85% do número de brasileiros com fome em apenas dois anos revela um drama emergencial presente e com causas ainda maiores no futuro. Se continuar dessa forma e nada for feito, infelizmente, “teremos um grande percentual da nossa população passando fome nos próximos anos”, alertou.

Medida emergencial

Com a redução do auxílio emergencial criado pelo governo federal durante a pandemia, que chegou a R$ 12 mil e hoje não passa de R$ 400,  quem recebe esse valor mais baixo só consegue comprar atualmente cerca de 50% ou pouco mais da cesta básica. Isto, somando o aumento da inflação que chegou à casa dos dois dígitos.

No Paraná, diz Romanelli, a Assembleia Legislativa aprovou mais uma medida mitigatória que concede um benefício de R$ 80 a famílias em situação de vulnerabilidade social e econômica. O projeto de lei  que cria o Programa Estadual de Transferência de Renda seguiu para sanção do governador Ratinho Junior.

Entre os objetivos do programa estão o enfrentamento à pobreza, a erradicação da fome, a segurança alimentar, a melhora da nutrição, a promoção da agricultura sustentável, a aquisição de itens inerentes à dignidade humana, a reconstrução de sua autonomia, além da redução da desigualdade.

Estado e o legislativo, segundo Romanelli, vem fazendo a lição de casa no Paraná. No caso da fome, há medidas como os R$ 80 como auxílio às famílias. Soma-se a isso, o aumento no número de empregos registrados mês a mês.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="795153" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]