Podemos promove ato de filiação de Moro dia 10 em Brasília

Pedro Ribeiro

moro sobrinha paraná

 

O ex-juiz federal e um dos principais atores da criação da Operação Lava Jato no país, Sergio Moro, começa a despertar interesse no processo sucessório no Palácio do Planalto como uma opção à terceira via para combater o atual presidente, Jair Bolsonaro, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Com o tema “juntos podemos construir um Brasil justo para todos”, o Podemos oficializa, dia 10 de novembro, às 9 horas, no Centro de Convenções Ulisses Guimarães, em Brasília, Sergio Moro como membro do partido e pré-candidato à Presidência da República.

Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) realiza audiência pública com o ministro da Justiça para apresentar metas e diretrizes da pasta e detalhar o pacote anticrime. À bancada, senador Oriovisto Guimarães (Pode-PR). Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O processo de abrigo de Moro vem sendo articulado há algum tempo pelos senadores Oriovisto Guimarães e Alvaro Dias que, ao lado da presidente do Podemos, Renata Abreu, querem contribuir para ampliar a participação do partido em nível nacional e construir um projeto de um Brasil melhor para todos. O senador Alvaro Dias abriu mão de sua candidatura ao Palácio do Planalto para Sergio Moro dentro de um projeto chamado “Brasil maior”, como vem afirmando.

Apesar de pesquisa divulgada nesta segunda-feira pelo Instituto Paraná Pesquisa onde mostra que 57,7% dois eleitores ouvidos acham que Moro não deveria ser candidato à Presidência da República, o Podemos, segundo Guimarães espera reverter esta posição com o lançamento de Moro ao Palácio do Planalto.

Segundo a pesquisa, 35% disseram que o ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça no governo Bolsonaro deve ser candidato à Presidência da República. Pesquisas recentes também, apontam Moro com 9% das intenções de votos. Moro tem, na região Sul, o maior apoio à sua decisão de disputar o Palácio do Planalto, com 42,7% dos entrevistados, mas, ainda assim, a maioria (52,6%) acha que ele não deve fazer isso.

A maior parte da chamada “população economicamente ativa”, 58,6%, acha que ele não deve ser candidato, tanto quanto 56% dos eleitores economicamente inativos. O Instituto Paraná Pesquisas entrevistou 2.462 eleitores em 208 municípios dos 26 Estados e no Distrito Federal, entre os dias 26 e 29 de outubro.

O Podemos, presidido pela deputada Renata Abreu, não esconde, nesta nova caminhada rumo ao Palácio do Planalto, a tentativa de um acordo com o novo partido constituído pelas siglas DEM e PSL que, se não lançar candidato próprio poderia ser um grande reforço dentro deste “Brasil maior”. Interlocutores de respeito no Congresso Nacional e na política brasileira já estão em campo, com conversas avançadas, sobre este importante e necessário apoio.

Nós estamos lutando já há um bom tempo para que o ex-ministro Sergio Moro seja candidato à Presidência da República. Nós vamos ter o nosso candidato. Ele vai se filiar ao partido no próximo dia 10 novembro e vai se colocar como um pré-candidato. Se ele sentir que há um apelo, ele será candidato”, disse Oriovisto Guimarães em entrevista ao Paraná Portal. Ele é um dos principais articuladores da filiação de Moro. O primeiro encontro com este objetivo aconteceu nos Estados.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="800733" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]