Poder macabro e a vacina para a covid-19

Pedro Ribeiro


Alceo Rizzi

“É crime de genocídio, não há outra definição, a prevalecer a decisão do Ministério da Saúde em estabelecer calendário previsto de vacinação para a doença do vírus da pandemia somente para abril do próximo ano, apenas tendo como possibilidade o uso da vacina que contratou, da Universidade de Oxford, da. Inglaterra”.

O faz por pequenez de dignidade humana, numa sórdida disputa diante da possibilidade da vacina da China, em estágio mais avançado de testes de eficiência,, porque ela faz parte de acordo do governo de São Paulo, prevista para ser utilizada ainda em dezembro ou janeiro próximo. Ainda mais hedionda é a decisão porque ela pode já sinalizar veto da Anvisa – Agência Nacional de Vigilância s Sanitária- ao registro da vacina chinesa, ou criar a ela outros embaraços para liberação antes do prazo que estabelece..

Tratam a vacina com estupidez recorrente, no escopo ideológico, ou de abjeto e desumano oportunismo político, não como alento eventual a um tempo sombrio e desesperador que ameaça o país e o planeta. Recentemente, em programa de TV, o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, revelou ter apresentado ao presidente o pior cenário, 180 mil mortes, ao qual nos aproximamos por descaso de seu comando, e deboche de sua conduta . Fez pouco caso. Parece até que não há cadáveres não lhe bastem. É preciso mais!!!

Alceo Rizzi é jornalista

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal