Que “imprecionante”, caro senhor ministro da Educação

Pedro Ribeiro


Depois das pérolas da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos do governo Jair Bolsonaro que viu Jesus trepado em um pé de goiabeira, agora temos o ministro da Educação, Abraham Weintraub, que escreveu nas redes sociais “imprecionante” em vez de “impressionante”. A palavra foi usada nesta quarta-feira, 8, em resposta no Twitter ao deputado Eduardo Bolsonaro, que tratavam sobre investimento do governo em pesquisas sobre segurança pública.

É lamentável que um ministro da Educação cometa erros de ortografia tão graves como este, dando margem para que alunos passem a contestar professores alegando, por exemplo, se o ministro erra, porque não podemos errar. É claro que errar faz parte, mas o ministro é reincidente nesta questão pois, em agosto do ano passado escreveu paralisar com z, o que também deu margem para piadas nas redes sociais. O impressionante é que um ministro não tenha alguém para revisar seus textos, porque, como disse, cometer erros é normal. 

“Caro @BolsonaroSP, agradeço seu apoio. Mais imprecionante (sic): Não havia a área de pesquisa em Segurança Pública. Agora, pesquisadores em mestrados, doutorados e pós doutorados poderão receber bolsas para pesquisar temas, como o mencionado por ti, que gerem redução da criminalidade.”, escreveu Weintraub, que apagou a mensagem minutos depois da publicação. (reprodução do Estadão).

No ano passado, o mesmo ministro assinou ofício, endereçado ao ministro da Economia, Paulo Guedes, em que a palavra “paralisação” foi duas vezes escrita com “z”. “Minha responsabilidade. Não escrevi, mas li e deixei passar (…). Erros acontecem”, justificou o ministro após publicação da reportagem também no Estadão.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="678161" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]