Ratinho deve dizer não ao aumento da tarifa da Sanepar

Pedro Ribeiro

ratinho junior

 

 

O governador Ratinho Junior, eleito para defender os interesses dos paranaenses, ele próprio símbolo da representação política dos menos assistidos da população que lhe deu ouvidos e o colocou no cargo, deveria chamar para uma conversa o presidente da Sanepar, Eugênio Stábile. E determinar imediatamente que ele trate de também defender os interesses dos paranaenses porque foi colocado no cargo para isso e não apenas para se empenhar em agradar investidores privados com a elevação abusiva da tarifa da água, como anunciou.

Stábile está no cargo para gerir uma empresa que presta serviço fundamental para a população e a elevação de 25,63 % na tarifa da água como anunciou para investidores reunidos em seminário tem peso direto no aumento do custo de vida de milhares de famílias, muitas delas desempregadas, outras com seus rendimentos comprimidos pela recessão econômica que ainda castiga o País. A Sanepar não foi criada e não existe nesse tempo todo em que controla o abastecimento de água do Estado, por concessão dos municípios e do Estado, para agradar investidores, ainda que eles precisem ser remunerados pela participação no capital da empresa. Eles sempre foram agraciados com generosos dividendos, não tem muito do que reclamara.

Se esses investidores que fazem agora o lobby pelo aumento da tarifa, um direito que lhes assiste, encontram no presidente da Sanepar um aliado, um desses seres afortunados e despreocupados com a pobreza e a miséria alheia, é o caso de se perguntar: o que este senhor faz no cargo que ocupa, se não é para dar à empresa maior eficiência e oferecer um serviço básico à população a preços justos e condizentes com a realidade das famílias paranaenses?

Cabe ao governador Ratinho Junior também mostrar para os paranaenses que não faz parte do mesmo joio de seu antecessor Beto Richa que sem dó nem piedade implantou um pacote fiscal que ainda hoje pesa nas costas da população. Mostrar que ele é trigo nessa estória toda e não montou uma equipe para gerir nos estado retirando mais dinheiro do bolso do paranaense.

É um deboche, um escárnio com a população a pretensão da Sanepar querer aplicar em três anos um reajuste que foi decidido para ser distribuído em um período que alcança 2025, sendo diluído, para não causar impacto no custo de vida das famílias de quem efetivamente trabalha. Só não se incomoda com este abuso pretendido pelo presidente da Sanepar, aqueles a quem não faz diferença e pouco se importam com o sofrimento e a espoliação da população porque está mais interessado em agradar investidores em seminários, rapapés de mesuras, eventos sociais e quem sabe o que mais.

O governador Ratinho Junior tem a oportunidade de mostrar ao povo paranaense quem é quem manda e como se deve administrar. E numa linguagem direta fazer o presidente da Sanepar entender com quantos paus se faz uma canoa, ou em uma metáfora também  apropriada, que a  canoa do sujeito já começa a fazer água.

 

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.