Ratinho e Osmar iniciam batalha campal pelo Palácio Iguaçu

Pedro Ribeiro

 

O deputado estadual, Ratinho Junior (PSD), e o ex-senador Osmar Dias (PDT), ficaram frente a frente na manhã desta terça-feira, na sede da UniCuritiba, em uma sabatina que inicia os debates da campanha eleitoral ao Governo do Estado. Enquanto Dias se pautou na onda de denúncias de corrupção que se abateu sobre o ex-governador Beto Richa, tentando emparedar seu adversário e colocando-o como integrante do grupo, Júnior reafirmou que não é e não se importa em não ser o candidato de Richa, do qual foi secretário de Desenvolvimento Urbano. “O que quero é reformar a política”, disfarçou.

Foi Osmar Dias quem puxou o fio do trágico dia 29 de abril de 2015, onde o Centro Cívico se transformou em batalha campal. Disse que qualquer cidadão não aprova este tipo de violência e, por isso, seus autores devem ser condenados. O candidato, que esteve ligado ao grupo petista de Lula e Dilma, aproveitou para seduzir os professores vítimas do conhecido “massacre”: “Precisamos valorizar os professores, inclusive salarial e, para isso, é necessário um planejamento para os próximos quatro anos para que não haja pausa e greves no início de cada ano”, observou.

Defendendo a privatização das empresas e dando prioridade ao de sempre – saúde, educação, segurança e infraestrutura – Ratinho Junior pondera que o Estado deve investir maciçamente nas áreas sociais e o restante deve deixar para a iniciativa privada, através de PPPs – Políticas Públicas Privadas. O deputado e candidato é favorável à implantação do Porto de Pontal do Sul, onde há polêmica sobre possíveis danos ao meio ambiente.


“É um desenvolvimento econômico. Não podemos deixar envolver a paixão nem dos empresários e nem dos ambientalistas. Precisamos pensar em uma forma de executar esse serviço que é importante para a economia, sem grande destruição do meio ambiente”, disse.

Osmar Dias voltou a condenar o alto custo das tarifas do pedágio nas rodovias federais que cortam o Paraná. “Se isso não é roubo, não sei o que é”, afirmou. Ratinho Junior disse que é preciso fazer licitação internacional de pedágios para acabar com as organizações criminosas. “Assim, você inibe a possibilidade de ter os conchavos e o mundo tem muito dinheiro para bons projetos de investimentos e a licitação internacional exigiria uma tarifa muito mais barata e um investimento muito maior”.

A sabatina foi mediada pelo presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR) Luiz Oyama. “Os candidatos brigam e discutem aqui, mas depois vão tomar uma cerveja juntos no bar”, afirmou pedindo uma eleição limpa.

 

Post anteriorPróximo post
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.
Comentários de Facebook