Ratinho Junior corre para fazer a lição de casa no meio do caos

Pedro Ribeiro

ratinho junior paraná lockdown medidas covid-19

O Brasil vive uma catástrofe sem precedentes com a pandemia do coronavírus e o cenário é pior ainda no Sul do País, onde faltam leitos hospitalares para atender a crescente demanda de contágio e medicamentos. Há recordes de mortes e clima de desespero.

O governador paranaense, Ratinho Junior, que embora tenha falhado em não fazer um planejamento de longo prazo no combate ao vírus, por parte da Secretaria da Saúde, e ficar à mercê do Ministério da Saúde, tem se esforçado na busca de solução dentro do caos.

Esta semana Ratinho Junior anunciou a compra de 16 milhões de doses de vacinas e aumento de mais 200 leitos para atender o grande número de pessoas que esperam tratamento.

O Paraná tem R$ 200 milhões em caixa para investir na saúde – compra de vacinas, equipamentos, medicamentos, pessoal e infraestrutura.

Com honestidade de propósitos, vimos um governador tenso, durante entrevista na quinta-feira a uma emissora de televisão de Curitiba. Mas não deixou de responder aos questionamentos e de anunciar programas, como aumento na compra de vacinas e ampliação de leitos, para os próximos dias.

Ratinho Junior não é um homem erudito, mas mostrou, na entrevista, ter controle do Estado nas mãos, tanto nas áreas da economia, saúde e política.  Não toma decisões sem, antes, consultar os prefeitos independente de ideologias partidárias e parece que sofre junto com empresários que estão pedindo socorro e trabalhadores sem emprego.

Abriu novas linhas de créditos da Fomento Paraná e do Banco Regional de Desenvolvimento para atender pequenos e médios empresários.

Ratinho Junior está diante de um dos  maiores desafios que um político pode enfrentar, pois está tentando salvar vidas. Errou e está tentando corrigir os erros. Erros da falta de experiência no tamanho do cargo e da responsabilidade que o mesmo exige de um gestor público.

Quando assumiu, as promessas que fez de investir, por exemplo, R$ 41 bilhões em infraestrutura no Estado, foram por água abaixo, perdeu arrecadação e teve que reestruturar o Estado e canalizar recursos de outras áreas para a Saúde.

Ratinho Junior está reparando danos com noção de responsabilidade e respeito aos eleitores que continuam acreditando no seu potencial. É na crise que o gestor mostra seu potencial e sua capacidade.

Não pode pisar na bola.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="752368" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]