Sintonia Fina
Compartilhar

Ratinho Junior quer que o Paraná seja o Estado mais tecnológico do país

Depois de desnomear Eduardo Paim, ex-assessor do ex-chefe da Casa Civil de Beto Richa, Valdir Rossoni, o governador Carl..

Pedro Ribeiro - 28 de fevereiro de 2019, 10:02

O Governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou nesta quarta-feira (27) um termo de cooperação entre o Governo do Paraná, a Universidade de Stanford e o Lemann Center for Entrepreneurship and Educational Innovation in Brazil. -  Foto: Divulgação
O Governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou nesta quarta-feira (27) um termo de cooperação entre o Governo do Paraná, a Universidade de Stanford e o Lemann Center for Entrepreneurship and Educational Innovation in Brazil. - Foto: Divulgação

Depois de desnomear Eduardo Paim, ex-assessor do ex-chefe da Casa Civil de Beto Richa, Valdir Rossoni, o governador Carlos Massa Ratinho Junior respirou fundo para poder se concentrar nas ações de parceria que está construindo nos Estados Unidos. Nesta quarta-feira (27) assinou um termo de cooperação entre o Governo do Paraná, a Universidade de Stanford e o Lemann Center for Entrepreneurship and Educational Innovation in Brazil.

ANÚNCIO

O objeto do acordo, firmado durante a visita do governador ao Vale do Silício, na Califórnia (EUA), é o desenvolvimento de um programa para a prospecção e análise de informações e dados para tomadas de decisão em políticas públicas. 

"O convênio vai permitir uma análise de dados históricos do Paraná para que a gente possa melhorar a gestão do Estado", afirmou o governador. "Vamos trazer o que há de mais moderno na academia para o Paraná".

O governador afirmou que vai estudar a instalação de um escritório do Paraná no Vale do Silício, como forma de facilitar a interação entre empresas americanas e globais e desenvolvedores paranaenses de tecnologia. A iniciativa também inclui a instalação de aceleradoras de startups no Estado, nos mesmos moldes do que já existe nos Estados Unidos.

ANÚNCIO

Segundo Ratinho Junior o objetivo é de transformar pequenas empresas do Estado em atores globais. “Queremos levar esse modelo para o Paraná e fazer com que nosso estado crie um mecanismo parecido de impulsionamento de empresas de tecnologia. A ideia é fazer com que o Paraná seja o estado mais tecnológico do Brasil, com empresas que exportam para o mundo, em especial soluções de agrotech", destacou o governador.