Ratinho Junior quer tranquilizar famílias com segurança nas escolas

Pedro Ribeiro

 

Acerta o governador paranaense, Carlos Massa Ratinho Junior, ao anunciar que lançará nesta sexta-feira, em Curitiba, o programa Escola Segura. Não é de hoje que as famílias paranaenses que tem filhos adolescentes nas escolas vem perdendo o sono devido, principalmente, ao tráfico de drogas e violência nas portas e nos entornos de colégios públicos em todos os municípios. Durante a campanha, o governador já havia manifestado preocupação em relação ao assunto e agora efetiva medidas preventivas e protetivas de segurança que serão executadas na rede estadual de ensino.

O País ficou chocado nesta quarta-feira com o massacre de Suzano, onde 10 pessoas morreram, entre elas seis estudantes do principal colégio público da cidade, vítimas de dois jovens atiradores que acabaram tirando a própria vida. No Paraná, a luz amarela acendeu no dia 28 de setembro do ano passado, quando dois adolescentes entraram no Colégio Estadual João Manoel Mondrone, em Medianeira e, armados, atacaram colegas de classe. Eles eram menores de idade e estudavam no colégio. No ataque, 2 alunos foram atingidos por disparos, 1 deles ficou em estado grave, mas sobreviveu. Ao serem presos, 1 dos estudantes estava armado com arma de fogo e outro portava uma faca.

Embora não seja comum no Brasil este tipo de violência em  escolas, mas já há registros de 8 casos nos últimos 17 anos, o que vem alertando e chamando a atenção das autoridades. O governador paranaense já anunciou que vai colocar mais policiais nas escolas e, para isso, se precisar, convocará militares reformados para auxiliar nestas ações.


O maior massacre em escolas no Brasil aconteceu no dia 7 de abril de 2011, quando Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, matou 12 adolescentes de 13 a 16 anos em ataque a tiros na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, no Rio de Janeiro. Outras 12 pessoas ficaram feridas. Wellington se matou em seguida, com 1 tiro na cabeça.O atirador era ex-aluno da escola. Deixou uma carta em que explicava que sofreu bullying quando estudava na instituição.

Os detalhes do projeto do governo paranaense serão apresentados em coletiva de imprensa, as 8 horas da manhã, no Palácio Iguaçu, com as presenças do governador e também dos secretários Luiz Felipe Carbonell (Segurança Pública), Renato Feder (Educação) e Ney Leprevost (Justiça, Família e Trabalho). A implantação do Escola Segura vem sendo estudado desde janeiro e o início da operação será acelerado por determinação do governador Ratinho Junior.

Post anteriorPróximo post
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.
Comentários de Facebook