Requião com um pé fora da direção do MDB no Paraná

Pedro Ribeiro


 

Politicamente, os astros continuam virando as costas para o senador Roberto Requião (MDB). Depois de ser derrotado nas urnas em sua candidatura à reeleição, agora uma ala do partido o quer ver fora da direção, cansada por seus mandos e desmandos ao longo de vários anos como presidente e dono absoluto da legenda no Estado. Prefeitos e lideranças históricas da legenda enviaram ofício ao presidente do diretório nacional, senador Romero Jucá, pedindo o afastamento de Roberto Requião da presidência do diretório estadual e a realização de convenção imediata.

Na carta, listam atos e ações que consideram fundamentais para terem o pleito atendido. Segundo eles, a atual direção foi eleita para mandado de dois anos (1º de novembro de 2015 a 31 de outubro de 2017), sendo possível a prorrogação por mais um ano, que terminou em 31 de outubro deste ano. No entanto, em duas reuniões, o mandato dos membros do diretório acabou prorrogado por mais 180 dias.

De acordo com informações de blogs e sites,  o grupo considera o momento preocupante que o MDB do Paraná tem atravessado. Para ilustrar a perda de representatividade, comparam o desempenho nas duas últimas eleições. Em 2014, na somatória dos votos nominal e legenda, o MDB conquistou 771.253 votos para a Assembleia Legislativa. Em 2018, o total chegou a 271.443 – queda de 65%. Este ano, o partido garantiu duas cadeiras, contra oito no pleito de 2014.

Para a Câmara Federal, os números praticamente se repetiram. Em 2014, o MDB conquistou 747.306 votos, elegendo quatro parlamentares. Este ano, o número caiu para 302.291 (redução de quase 60%), ressalta o deputado Sérgio Souza, um dos líderes do grupo, ao considerar a perda de representatividade do partido nas duas casas legislativas.

Os emedebistas acusam ainda que, o Diretório Estadual do MDB, sob a regência de seu atual presidente, é o principal responsável pelo enfraquecimento do partido ao conduzi-lo de forma antidemocrática impedindo a renovação e o surgimento de novas lideranças.

Eles invocam os direitos de participação, manifestação e de peticionamento previstos no artigo 8º do estatuto e pedem, em caráter liminar e de urgência, que o Diretório Estadual não promova nova convenção, “até que o presente pedido seja apreciado pela Comissão Executiva Nacional”.

O documento pede para reconsiderar a prorrogação dos mandatos dos atuais membros do diretório estadual, “pela temeridade da manutenção de dirigentes que levaram o MDB do Paraná à situação calamitosa em que se encontra, nomeando-se urgentemente uma Comissão Provisória”.

Os militantes encerram a carta pedindo a dissolução do Diretório Estadual, “diante do baixo desempenho eleitoral na última eleição, bem como pela postura de seu atual presidente que conduz o partido de forma arbitrária impedindo o progresso e do desenvolvimento do MDB no Paraná”. (Cabezadevaca)

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal