Ricardo Barros afirma que ficará com Bolsonaro até o final. Política como ela é

Pedro Ribeiro


No centro das decisões, deputado Ricardo Barros, líder do governo na Câmara, diz que o centro dá equilíbrio e estabilidade ao país

O maringaense Ricardo Barros (60), dono de um invejoso patrimônio eleitoral, vive hoje mais um momento decisivo em sua carreira política ao estar, mais uma vez, entre a cruz e a espada. Ou seja, no centro das decisões. Ao mesmo tempo em que é espelho é, também, vidraça.

Barros atuou como líder na Câmara e até ministro de governos bolivarianos da esquerda, (Luiz Inácio Lula da Silva) do centro, (Michel Temer) do centro-esquerda (Fernando Henrique Cardoso) e agora da direita (Jair Bolsonaro). Ele remove obstáculos e vai pavimentando caminhos sem quebrar louças ao redor.

Em entrevista ao Paraná Portal, Barros garantiu que vai apoiar, como uma das lideranças do PP (Progressistas), Jair Bolsonaro em sua reeleição. “Vou ajudá-lo a vencer a eleição e contribuir até o final de seu segundo mandato”, pontuou.

Barros, do centro, disse que o centro é que dá o equilíbrio e a estabilidade ao país.
Paraná Portal- Você já serviu e colaborou com vários governos, PT, MDB, PSDB e agora serve ao governo de Bolsonaro.

Paraná Portal – Qual a principal diferença entre estes governos?

Ricardo Barros – São governos totalmente diferentes. No governo FHC, que eu também servi, era um governo de centro esquerda, mas com uma índole muito progressista. O governo do PT é um governo mais voltado aos sindicatos, {as centrais sindicais, e com propostas para os trabalhadores e a entrega de avanços sociais. Este governo que teve um momento muito bom na economia, no primeiro governo Lula que esteve muito bem internacionalmente. Já com a presidente Dilma, houve uma crise e atrapalhou um pouco. No MDB, com o presidente Temer, que foi três vezes presidente da Câmara dos Deputado e conhecia muito bem a articulação política, conseguiu aprovar o teto de gastos públicos e outras várias matérias importantes. Em relação ao presidente Bolsonaro ele veio com uma índole da direita totalmente diferente em sua forma de pensar. Um governo liberal com estado mais enxuto, ao contrário dos outros, e um estado mais eficiente e, obviamente, também buscando apoio do centro. São, portanto, presidente com viés bem diferentes de atuação, mas sempre apoiados pelo centro. O centro é que dá o equilíbrio para a estabilidade do Brasil.

Paraná Portal – A frase é sua, ou seja, agora Bolsonaro está fazendo a política como ela é. Um bom político, não muda nunca? Faz sempre a política como ela é? ou o bom político faz a política como ela deveria ser?

Ricardo Barros – Um bom político faz a política como ela é. Faz a política como deveria ser no seu pensamento. Pode não conseguir apoiamento suficiente para implementá-la. Agora, eu percebo que o centro consegue dialogar bem com o governo. O governo é de direita, mas aliado ao centro e fica, portanto, governo de centro-direita e faz a política como ela é. Evidentemente, cada um com sua personalidade e seu estilo. O presidente Bolsonaro disse que não entregaria ministérios, não entregou está conseguindo, da mesma forma, construir sua base parlamentar e avançar nas reformas que o Brasil precisa.

Paraná Portal – Mesmo que a popularidade de Bolsonaro despenque, ainda assim o sr. ficaria com ele até o final de seu governo?

Ricardo Barros
– A lealdade é apenas uma das qualidades que uma pessoa precisa ter. Mas não tendo lealdade também não precisar ter nenhuma outra, porque é inútil alguém que não tenha lealdade. Eu servi a muitos governos e fui leal a eles e estou muito satisfeito com esta trajetória, porque sou um político de resultados. E resultados nós conseguimos quando temos apoio, recursos e condições para realizar. Estou com o presidente Bolsonaro, sou seu líder, vou apoiar sua reeleição e espero ajudá-lo a vencer esta reeleição e acompanhá-lo até o final de seu segundo mandato.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal