Ricardo Barros pede cassação de senadores que vazaram informações sigilosas da CPI

Pedro Ribeiro

CPI ouve líder

 

Surpreendido por vazamentos de informações sigilosas na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, o deputado Ricardo Barros acordou nesta segunda-feira disposto a enfrentar com mais furor os membros do Senado que participam das investigações sobre ações do governo em referência à pandemia. Pede Cassação de senadores envolvidos.

Barros solicitou à Polícia Federal investigações sobre tais vazamentos e ainda pediu a cassação dos senadores responsáveis por distribuir material sigiloso para a imprensa.

“Requer que seja instaurado inquérito policial e, após serem apuradas as irregularidades apontadas, ao final haja a condenação em eventual ação penal, aplicando-se as sanções de perda do cargo, da função pública ou do mandato eletivo ao Parlamentar ou servidor público responsável (art. 92, do Código Penal)”, diz o pedido de instauração de inquérito protocolado na PF.

Segundo o líder do governo na Câmara Federal, “a CPI age de forma covarde vazando informações ilegalmente a imprensa. No caso Forte Neto, porque não me perguntaram ontem (dia do depoimento)? Sabiam que eu iria desmascará-los. E a globo que pediu e recebeu a resposta não publicou corretamente”.

Ricardo Barros afirma que a imprensa recebeu nos últimos dias dados sigilosos relativos às investigações em curso na CPI da Pandemia. Troca de mensagens e áudios sob responsabilidade da Comissão basearam reportagens divulgadas no fim de semana.

“São dois crimes que precisam ser apurados e responsabilizados: o vazamento dos dados sigilosos e o abuso de autoridade. A CPI se utiliza de estratégia covarde para politizar a investigação com o objetivo de me atingir e de atingir o Governo Bolsonaro”.

O líder do governo criticou duramente a estratégia dos senadores e questionou o motivo de o assunto não ter sido levantado quando ele esteve na CPI.

“Fui à Comissão e rebati todas as acusações com documentos. Estou pronto para voltar assim que me chamarem. A narrativa dos senadores da oposição não se sustenta, e eu provei isso. Agora eles partem para a tática criminosa do vazamento para me desgastar e causar constrangimento. Se tinham esses dados, por que não me perguntaram?!”, frisou.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="783513" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]