Richa, Deonilson e Odebrechet

Pedro Ribeiro

O governador Beto Richa e seu ex-chefe de gabinete, jornalista Deonilson Roldo, estão envolvidos em acusação, cujo inquérito está nas mãos do juiz federal Sergio Moro, de favorecer a Odebrechet em obra rodoviária no Estado. Segundo áudios apurados pela revista ISTOÉ, o valor recebido em forma de caixa dois é de R$ 2 ,5 milhões.

Segundo a reportagem, na semana passada, o Superior Tribunal de Justiça enviou à primeira instância a investigação que apura se a campanha à reeleição de Richa em 2014 recebeu R$ 2,5 milhões da Odebrecht via caixa 2.

Áudios que estão em poder do Ministério Público Federal, e obtidos com exclusividade por ISTOÉ, complicam ainda mais a situação do ex-governador. Em uma das conversas, o então chefe de gabinete de Richa, Deonilson Roldo, revela a negociata com a Odebrecht justamente em torno da obra que teria lhe rendido milhões em recursos para a campanha, por meio do caixa paralelo.

Deonilson Roldo e Beto Richa negaram irregularidades e rechaçaram qualquer acordo ou direcionamento para a Odebrecht. Roldo garante ter dito que o “governo tinha um compromisso com a região (noroeste do Paraná)” e acusa a gravação de ter sido editada. Pedro Rache não foi localizado por ISTOÉ. A Contern informou, em nota, que “em nenhum momento recebeu sinais de que o referido processo licitatório estaria direcionado para uma ou outra determinada construtora”.


Post anteriorPróximo post
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.
Comentários de Facebook