Sandro Alex consegue desagradar deputados e G7 no caso do pedágio

Pedro Ribeiro


 

Quem participou da audiência pública da Frente Parlamentar sobre o Pedágio na região dos Campos Gerais, realizada esta semana, em Ponta Grossa, conta que é grande e barulhento o descontentamento dos deputados, não apenas da região, mas do próprio quadro do legislativo, com as ações e principalmente omissão do secretário da Infraestrutura e Logística do governo paranaense, Sandro Alex, em relação às discussões sobre a nova concessão de rodovias e o pedágio.

Para começo de conversa, os deputados estaduais Mabel Canto (PSC) e Plauto Miró (DEM), que representam os Campos Gerais na Assembleia Legislativa, cobraram a ausência do secretário da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, na audiência pública. Ao tentar querer inverter o quadro, ou seja, a paternidade ou protagonismo das discussões sobre o pedágio, afirmando, agora, que “era isso mesmo o que o governo defendia desde o início…” Alex desagradou também os representantes do G7 – setor produtivo paranaense. Chamam sua tentativa de burlesca.

Os dois deputados alertam que o secretário, de Ponta Grossa, e responsável pela malha rodoviária paranaense, deveria se pronunciar a respeito do modelo híbrido que o governo federal quer impor ao Paraná. A posição é contrária à da sociedade civil organizada e da Assembleia Legislativa que defendem uma licitação pelo menor preço de tarifa, afirmaram os parlamentares.

Ao se posicionar sobre o pedágio, o senador Flávio Arns (Podemos) disse que a Assembleia Legislativa do Paraná dá exemplo e que se não fosse o trabalho da Frente Parlamentar sobre o Pedágio, os paranaenses não conheceriam a proposta do governo federal para conceder as rodovias do Estado pelos próximos 30 anos. A sociedade, de forma geral, é contra o modelo federal e defende a proposta pelo menor preço de tarifa sobre os pedágios.

Flávio Arns participou da audiência pública da frente parlamentar com representantes de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais. “Se não fosse a Frente Parlamentar com essas audiências, a população do Paraná nem estaria acompanhando essa confusão dos pedágios, e essa proposta do governo federal que vai afetar a vida dos paranaenses para os próximos 30 anos”.

O senador destacou o manifesto assinado pelos 54 deputados estaduais cobrando que o novo modelo seja pela menor tarifa, sem taxa de outorga, sem degrau tarifário e com obras desde o início.  “A gente tem que batalhar para isso”, ressaltou Flávio Arns.

O presidente da Associação Comercial, industrial e Empresarial da Ponta Grossa, Douglas Fanchin Taques Fonseca, destacou nesta quinta-feira, 15, o “excelente trabalho” da Frente Parlamentar sobre o Pedágio, composta por 36 deputados estaduais do Paraná. “Essa questão (da proposta) da tarifa pelo menor preço é a mais justa que tem. Se tem que fazer as obras, vão (as concessionárias) na medida que arrecadam o dinheiro das tarifas”.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="758018" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]