Se a Copel reduzirá custo em R$ 10 milhões, por que Ratinho Junior não reduz a tarifa da luz?

Pedro Ribeiro


 

O anúncio da redução de gastos da Copel, estimado em R$ 10 milhões por ano, poderia ter um impacto maior junto à sociedade se o governador Carlos Massa Ratinho Junior, banhado de sensibilidade humana, norteasse essa economia em benefício direto aos consumidores de energia elétrica com uma pequena, singela talvez, redução na tarifa da luz.

Ratinho Junior, com este feito, não seria aplaudido apenas pelos membros que lotaram o salão nobre de reunião do secretariado no Palácio Iguaçu, mas por mais de 11 milhões de paranaenses cuja maioria lhe deu voto nas urnas e de confiança nos destinos do Estado.

As medidas que a Copel irá adotar para reduzir os custos são pertinentes e completamente dentro das ações de uma gestão compromissada com o controle dos gastos públicos. No entanto, este dinheiro deverá ser canalizado para ampliação das ações da companhia, como infraestrutura na construção de usinas e geração de energia, o que é correto, mas seria bom também que viesse em benefício direto à população, com a redução na tarifa da luz.

Em seu discurso, o governador disse que a iniciativa da Copel faz parte da estratégia de governo de reduzir o custo da máquina pública para sobrar dinheiro para ao que é essencial à população, que é o investimento forte em saúde, educação, segurança e infraestrutura. Que o governador possa, também, na soma dessa significativa quantia, destinar parte para o consumidor, em especial o de baixa renda.

É um grande começo.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal