Se a oposição ao governo não sabe o que dizer, melhor então é calar a boca

Pedro Ribeiro


A continuar as estratégias do novo governo, que assumiu a Câmara dos Deputados e o Senado Federal, a esquerda bolivariana de meia dúzias de petistas que sobraram, pode colocar a viola no saco, porque já deu, ficou sitiada e será difícil, pelo menos agora, reverter o processo, ainda mais com o líder maior preso em Curitiba. 

O País fazendo esforço enorme para sair da crise em que nos mergulhou o sindicalismo populista e inconsequente de uma esquerda caricata, com mais de 12 milhões de desempregados e pronto para discutir as medidas que serão tomadas pelo governo, e o que faz a nossa valente e brava oposição? Fica ocupando espaços em noticiários para estabelecer paralelo ridículo e imbecil com os tempos do regime militar pelo fato de que as duas casas do parlamento brasileiro estarem sendo ocupados agora por pessoas do Democratas, Rodrigo Maia na Câmara e Davi Alacumbre, no senado, ambos pertencentes ao partido originário da antiga Aliança Renovadora Nacional, a Arena, base política dos militares.

Esse pessoal não tem mais o que fazer? Queriam que fosse diferente e o cangaceiro Renan Calheiros, a excrescência de Alagoas estivesse agora sentado na cadeira de presidente do senado e do Congresso Nacional? A pobreza de propostas e de conteúdo, aliada ao cinismo e à hipocrisia mais tacanha, não permite que eles tenham alguma contribuição a dar para elevar o debate que o País precisa nessa perspectiva de mudanças que o governo está tentando para tira-lo do buraco em que essa caterva nos meteu enquanto esteve no poder.

Lê-se nos noticiários declarações da presidente do PT, deputada Gleisi Hoffman e o candidato derrotado, o fraco Fernando Haddad, dizendo que o País está voltando aos tempos da ditadura militar, utilizando como “ evidência”  as eleições dos presidentes das duas casas para estabelecer esse pobre paralelo e esconder o vazio medíocre que sempre os caracterizou. Será que, se eles ao menos não tem capacidade de formular opiniões próprias ou conceitos sobre determinadas reformas que estão sendo discutidas, não tem ao menos a capacidade de formar uma assessoria competente que os oriente a não ser assim tão ridículos? Para que que ao menos consigam ainda dissimular e fingir que não são de fato duas nulidades dessas que somente a estupidez humana pode produzir?

O pior é que esse argumento raso, oco e delirante encontra eco em mentes de blogueiros deserdados da rapinagem que antes participavam, quando o governo era do PT, ou por ditos comentaristas políticos que o reproduzem demonstrando a terra arrasada de inteligência que pavimenta a oposição ao novo governo. Será que essa gente e esses políticos mequetrefes que fazem oposição, frágil, inconsequente e caricata não se deram ainda conta que o País passou por mudanças e teve sua paciência esgotada com esse discurso idiota com o qual foi enganado por muito tempo?

Se Renan Calheiros, a representação mais vil, abjeta e corrupta da face do Congresso Nacional tivesse sido eleito o seu presidente, o País estaria sendo colocado forçosamente em um balcão de negócios. Para cada medida que o governo pretendesse adotar, dentro da sua visão de condução do País, teria que negociar e aceitar as chantagens do grupo que Calheiros representa e do qual integram as mais vistosas flores do pântano, como se referiu o ministro da Economia, Paulo Guedes, dia desses. Gente como Jader Barbalho, Eduardo Braga, Romero Jucá, não reeleito, e tantos outros como os políticos do PT e de outros partidos, banidos dos saques que praticavam e das proximidades de cofres públicos.

Se é com esse nível e com essa indigência cultural e intelectual que será formada a oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro, ele pode ficar tranquilo porque aos poucos ela mesmo estará se desnudando perante a opinião pública, como faz estupidamente agora. Pelo menos no regime militar que comandou o país, a oposição que se fazia a ele era respeitável, com homens inteligentes e preocupados com o destino do País, desnecessário menciona-los para que, por condescendência e piedade, os que fazem oposição agora sejam poupados de monumental vergonha na comparação, além da que já se expõem.

Tá na hora dessa gente se recolher e estudar o País, antes de falar tanta besteira, apenas por necessidade de se comunicar aos rebanhos submissos e acéfalos de seus partidos.

Ou então calarem definitivamente a boca!

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="591517" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]