Se Bolsonaro fosse eleito Papa decretaria o fim do pecado

Pedro Ribeiro


Participativo nas discussões do Senado Federal de temas de interesse da Nação, principalmente em relação às políticas econômicas e sociais, o senador Oriovisto Guimarães vem surpreendendo seus colegas com posições firmes no que dizem respeito ao teto de gastos e corrupção, além de ser contra a reeleição do presidente do Senado Federal.

Nesta semana, quando o presidente Jair Bolsonaro afirmou, em pronunciamento no Palácio do Planalto, que “acabou” com a Operação Lava Jato porque, no governo atual, “não há corrupção a ser investigada”, Guimarães disse o seguinte a esta coluna:

“Se o Bolsonaro fosse eleito Papa ele fecharia todos os confessionários, em todas as igrejas e decretaria o fim do pecado durante seu pontificado”.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal