Se tiver que ir para a guerra levo Moro e Dallagnol juntos, diz General Mourão

Pedro Ribeiro


 

A cruzada contra o ministro Sergio Moro e o procurador da República, Deltan Dallagnol, sobre o caso de possíveis vazamentos de informações, levou o presidente da República, Jair Bolsonaro, a sair em defesa do ministro, afirmando que o que Moro fez não tem preço. “Ele realmente botou para fora, mostrou as vísceras do poder, a promiscuidade do poder no tocante à corrupção”, disse. Bolsonaro enfatizou ainda que Moro “faz parte da história do Brasil” e criticou o vazamento das mensagens. “Houve uma quebra criminosa, uma invasão criminosa, se é que […] o que está sendo vazado é verdadeiro ou não.”

Quem também saiu em defesa de Moro e Dallagnol, foi o vice-presidente da República, General Hamiltom Mourão. Para ele, Moro foi vítima de um crime. “No Exército, a gente tem uma linguagem muito clara: se eu tiver que ir para a guerra, eu levo o Sérgio Moro e o Deltan Dallagnol comigo”, declarou. A afirmação foi dada durante entrevista à Rádio Guaíba, de Porto Alegre.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="630883" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]