Se vacas voarem, não se assuste porque só falta isto

Pedro Ribeiro


Se neste Natal você esticar o pescoço para o céu e ver vacas voarem, não se assuste. Contemple, porque só falta isso para terminar o ano. Jair Bolsonaro, um deputado federal pelo Rio de Janeiro desconhecido junto à sociedade brasileira, ganha a mídia nacional ao brigar com colega gay – Jean Willys – no plenário da Câmara. Gostou dos holofotes, aproveitou a oportunidade e começou a falar o que o povão queria: balas para bandidos. Virou Presidente da República.

Luiz Inácio Lula da Silva, “o homem mais honesto do mundo”, segundo ele mesmo, foi parar na cadeia e lá permanece. O ídolo, o mito, o paladino dos pobres e benevolente das nações comunistas padece na prisão se alimentando de ilusões. Com ele caíram dezenas de políticos e grandes empresários corruptos que jamais imaginaríamos que isso poderia acontecer. Graças a um juiz federal de Maringá, Sergio Moro, o homem da Lava Jato, que também virou ministro.

A cada dia em que levantávamos após mais uma noite mal dormida, era uma surpresa, principalmente por conta do Supremo Tribunal Federal que, nestes últimos 11 meses e poucos, barbarizou. A última foi um golpe pra matar: no apagar das luzes, o ministro Marco Aurélio dá uma generosa canetada e manda soltar criminosos condenados. Foi uma explosão de alegria e abraços nas dezenas de prisões espalhadas pelo país. Marco Aurelio acabou levando um belo chute no traseiro.

Agora, pouco antes do encerramento do ano, pois acredito que mais coisas ruins por aí, o ex-governador carioca, Sergio Cabral, condenado a quase 200 anos de prisão por corrupção e um dos responsáveis por literalmente destruir o Rio de Janeiro, ergue a voz para fazer delação premiada. Só falta mesmo Cabral ser solto, andar com uma tornozeleirinha pelas calçadas de Copacabana e Ipanema.

Então, se vacas voarem, não será milagre.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal