Segurem a cachorrada

Paraná Portal

 

 A cachorrada anda solta e trabalhadores de empresas que precisam bater de porta em porta para desenvolverem suas ações estão pedindo socorro. Neste ano, 62 funcionários da Sanepar foram mordidos por cachorros quando faziam leitura das tarifas de água. Destes, 27 foram afastados da companhia para tratamento de saúde. Desde 2013, foram registrados 439 ataques de cachorros em todo o Estado. “Só não temos como medir o trauma causado por um ataque, muitas vezes irreparável”, lembrou o gerente.“O que vemos é um número cada vez maior de cachorros soltos nas ruas”, denuncia o gerente da área de Faturamento da Sanepar, Denilson Belão.

 Leituristas da Sanepar participam nesta segunda-feira (22) da mobilização pelo Dia Municipal de Prevenção à Mordedura Canina, na Boca Maldita, em Curitiba, em conjunto com funcionários da Copel, dos Correios e da Cavo. Os trabalhadores querem que a sociedade se sensibilize para o problema, ajudando a evitar os ataques de cães. A atividade começa às 12h.

 A falta de cuidado dos donos de cachorros provocou um dos casos mais graves da Sanepar, registrado no início deste ano. Um cão da raça pitbull escapou de uma residência em Colombo e atacou a leiturista Grace Machado. Ela levou mordidas nos dois braços e na cabeça. Ficou vários dias imobilizada e ainda não voltou para o trabalho de rua. “A casa não tinha tranca no portão. O cachorro fugiu e me atacou. Pensei que ia morrer. Fui salva pelos vizinhos, que ouviram meus gritos”, conta.


Grace trabalhou durante dez anos nos Correios e está desde 2014 na Sanepar. Não foi a primeira vez que ela foi atacada por um cachorro, mas das outras vezes as lesões não foram tão graves. “Hoje já consigo contar o que passei sem me abalar, até pouco tempo não conseguia falar sobre o ataque”, diz.

 

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook