Senado rejeita mas Câmara aprova projeto dos partidos políticos

Pedro Ribeiro


 

O Congresso Nacional não se entende. Quando Senado e Câmara deveriam se unir em projetos e ações de extrema importância para o país, cada um puxa a corda para o seu lado e ainda entram em disputa para ver quem manda.

Dois dias após o Senado ter rejeitado o projeto de lei que altera as regras para partidos políticos e para eleições, a Câmara, na calada da noite, aprovou o texto, mantendo os itens mais criticados.

Nem o próprio presidente da Câmara, Rodrigo Maia, teve voz na discussão do projeto, pois os deputados ignoraram suas declarações que, após se omitir na aprovação da primeira versão, associou-se aos críticos do texto e aprovaram no plenário poucas horas depois de o relator Wilson Santiago (PTB-PB) apresentar seu parecer.

O projeto aprovado deixou de fora mudanças que afrouxavam a prestação de contas eleitorais, mas manteve itens que revoltaram a opinião pública, como a permissão para que políticos fichas sujas participem de eleições e que o dinheiro público pague advogado de políticos ladrões.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="658498" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]