Sim, há punidade no Brasil

Pedro Ribeiro

gilmar mendes stf lava jato

 

O freqüente uso de discursos inflamados sobre impunidade no Brasil já pede estudos profundos sobre seu conceito, em especial qual o segmento da sociedade que não é reprimido pois,  no país dito da “impunidade”, o que constatamos é que existe, sim, punição e em grande escala.

De acordo com dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) o Brasil já tem a terceira maior população carcerária do mundo, ultrapassando a Rússia e chegando perto de 720 mil presos.

Então, como podemos afirmar que um país, como o Brasil, com tantos presos é o país da impunidade.

O que é preciso mostrar à sociedade é que existe punição no Brasil. Com a Operação Lava Jato, o que vimos foram dezenas e até centenas de presos, inclusive um ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, hoje libertado por cumprimento da constituição.

A poucos quilômetros da sede da Polícia Federal, em Curitiba, estão presos personalidades da vida pública e privada, como o ex-deputado federal Eduardo Cunha, ex-ministro Antonio Palocci e empresários donos de grandes empreendimentos no país e fora dele. Esta lista passa pela Papuda, em Brasília, Bangu, no Rio de Janeiro e em outros presídios do país.

Portanto, ninguém escapa e é justo punir quem  praticou atos ilícitos e lesou os cofres públicos da União para benefício próprio.

Agora, a continuar nesse ritmo de prisões e abusos de autoridades do setor judiciário, não teremos, em breve, empresários ou empresas para recolher impostos para o país mover sua economia e pagar, inclusive, salários das togas que estão por trás de tudo isso.

Estranho que quando um procurador do Ministério Público, um membro do Poder Judiciário ou mesmo da Suprema Corte é denunciado ou citado em algum caso ilícito, aí  não há punição.

Recente caso foi do ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes e sua esposa. Guiomar Mendes, que supostamente estariam sonegando imposto de renda, teve reação imediata do Ministério Público que mandou investigar e punir funcionários da Receita Federal que denunciaram ocultação de patrimônio do casal.

Ao invés de levantar um processo para efetivamente investigar a denúncia contra Mendes, o Ministério Público fez o contrário. Mandou investigar e punir o servidor que denunciou a suposta sonegação.

A justiça não é para todos. Se não houver punição aos togados, aí sim poderemos dizer que o Brasil é o país da impunidade.

 

 

 

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal