Sintonia Fina
Compartilhar

Sindicato dos delegados da Polícia Civil-PR pede CPI para apurar irregularidades na segurança pública

Anos atrás, quando trabalhava como repórter na Gazeta do Povo, cometi um erro e fui chamado na diretoria. No final do ta..

Pedro Ribeiro - 06 de dezembro de 2021, 13:12

Investigação da Polícia Civil gera denúncia do MP contra 70 suspeitos de esquema bilionário de sonegação no ramo de café  -  Curitiba, 18/10/2021 - Foto: PCPR
Investigação da Polícia Civil gera denúncia do MP contra 70 suspeitos de esquema bilionário de sonegação no ramo de café - Curitiba, 18/10/2021 - Foto: PCPR

Anos atrás, quando trabalhava como repórter na Gazeta do Povo, cometi um erro e fui chamado na diretoria. No final do tapete vermelho, como era conhecido o gabinete do Dr. Francisco Cunha Pereira Filho, na Praça Carlos Gomes. Ao entrar na sala, ele me disse: “Pedro, como vai? É preciso apenas corrigir o erro e sei que você fará isso. No mais, quero te dizer que só erra quem faz”.

ANÚNCIO

Me lembrei desse fato para dizer que, hoje, dia seis de dezembro de 2021, cometi um erro em minha coluna diária aqui no Paraná Portal. Cometi um equívoco ao me referir a um reajuste salarial que supostamente o governador Ratinho Junior teria oferecido aos policiais civis do Estado. Os números estavam incorretos e, portanto, peço desculpas à categoria e ao próprio governo.

Mas, como de um limão sai uma boa limonada, acabei recebendo ligações de representantes da categoria de entidades da Polícia Civil, o que me proporcionou não só a corrigir o erro mas, também, a ampliar as informações sobre o dito reajuste e a própria situação, hoje, da Polícia Civil.

Antonio Simião, presidente do Sindicato dos Delegados da Polícia Civil do Estado do Estado do Paraná (Sidepol), nos conta que foi oferecido um reajuste `”bel prazer do governador Ratinho Junior” de 3%. “Não é isso o que queremos. Nós queremos que a lei seja cumprida, ou seja, reposição salarial de seis anos de inflação que ultrapassa, hoje, a 35%, além das perdas mês a mês e ano a ano”, disse.

ANÚNCIO

Diante desse quadro, Simião foi mais longe, afirmando que “a Polícia Civil do Paraná, que já foi exemplo no Brasil está morrendo dia a dia”.

Segundo o presidente do Sidepol, o Sindicato que representa entrou com um pedido de CPI na Assembleia Legislativa para apurar descaso com a segurança pública no Estado e já conta com 12 assinaturas, precisando de mais quatro para que o processo siga em frente.

A CPI, segundo ele, é para que o governador do Estado cumpra lei de 1982 onde a Polícia Civil teria que ter 780 delgados em seus quadros. Hoje, informa ele, não chegamos a 350 para atender 399 municípios. “Estamos com 220 municípios sem delegados e tem apenas um delegado atendendo 20 municípios”, lamentou Simeão.

POSIÇÀO DA ADEPOL

"O anúncio do índice de 3% de reajuste, a título de data base, pelo Governo, para o funcionalismo público paranaense foi recebido como uma proposta indecente. Afinal, já se passaram mais de 5 anos de congelamento salarial dos servidores, em razão do calote consecutivo da data base, desde 2017, o que causou uma perda de poder aquisitivo desses trabalhadores de mais de 30%. Assim, 3% não chega a um décimo do que o governo nos deve, razão pela qual a indignação da classe dos Delegados que tanto vem trabalhando, especialmente na pandemia. Muito trabalho, uma belíssima produtividade e, paradoxalmente, estamos sendo tratados com desprezo pelo patrão Governador Ratinho Júnior. A indignação aumenta quando percebemos que a desculpa dada pelo Governo é a de que o reajuste não pode ser maior para não haver comprometimento do caixa do Estado do Paraná. Ora, mas sabemos que o caixa do Estado está superavitário, tem dinheiro, afinal, o governo vai conceder, em 2022, isenção de ICMS para grandes CNPJs na ordem de R$ 17 bilhões. Se para os grandes empresários o Governo tem tudo isso, como pode se negar a pagar o que deve para os seus trabalhadores públicos? Só não vai pagar o que deve para o funcionalismo público se não quiser. Estamos acompanhando outros Estados, muito mais pobres que o Paraná que estão pagando aos seus servidores, índices de 25%, por qual motivo, então, no PR os servidores vão merecer meros 3% q no salário de muitos servidores será equivalente a R$ 40 reais a mais. Será que o governo não percebeu que a inflação só dos últimos 12 meses alcançou os dois dígitos? Será que o governo não vê que o litro da gasolina está em quase R$ 7 ? Como que o governador, sabendo disso, vai continuar sacrificando os servidores? Quem ganha com isso? Com certeza não é a população para quem o governador prometeu serviços públicos de qualidade. Serviço público de qualidade, afinal, exige servidores bem remunerados e devidamente motivados. Uma pena o Governador estar enganando a população dessa forma", disse o presidente da Adepol (Associação dos Delegados de Polícia do Paraná), delegado Daniel Fagundes.