Transparência da prefeitura de Cascavel é exemplo em evento da ONU

Pedro Ribeiro


As medidas da prefeitura de Cascavel desde de 2017 na transparência de governança e no combate ao desperdício e corrupção serviram de exemplo nesta sexta-feira, 11, no Practices of One Stop Shop: Lessons for Timor-Leste (Práticas de “balcão único”: lições para Timor-Leste), evento do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) em cooperação com a Astana Civil Service Hub. Também participaram do encontro representantes do Vietnã, Bangladesh, Bangkok, Cazaquistão e Estônia.

A transmissão online do evento teve a participação do coordenador da Assessoria Internacional da Associação dos Municípios Brasileiros, Maurício Zanin, e do secretário de Planejamento e Gestão de Cascavel, Edson Zorek. “A primeira ação foi a de transmitir as licitações ao vivo porque tínhamos questionamentos ao processo licitatório e a dificuldade de participar. as primeiras transmissões fizemos através das redes sociais (facebook e youtube) e hoje é um exemplo para todo Paraná e em outros municípios”, disse Zorek.

O encontro também compartilhou lições do Timor-Leste sobre desburocratização e acesso a serviços, já que o governo está trabalhando na melhoria da prestação de serviços públicos em nível municipal, por meio das práticas de “balcão único”.

Acesso – Zorek apresentou as práticas de gestão implantadas para simplificação e transparência no processo licitatório. As iniciativas foram identificadas e compartilhadas ao longo da interação dos participantes do Projeto InovaJuntos, no qual Cascavel participa com menção honrosa. “O cidadão pode acessar as redes sociais e acompanhar como se dá o processo licitatório. Como funciona a onde está sendo investido os recursos públicos e o que é que está sendo comprado. Qual o preço que está sendo pago”, disse.

O secretário também destacou as parcerias com a associação comercial e com o Sebrae que capacitou as empresas, micros e pequenas, a participar das licitações que aportaram em 2017 mais de R$ 300 milhões em recursos públicos. “De cinco a seis empresas que participavam das licitações, passou para mais de 15 empresas. Tivemos então uma ampla competitividade e passamos a ter economia no uso de recursos”.

“Tivemos uma economia de mais de R$ 100 milhões a cada ano, o que resulta em mais de 400 milhões ao longo de quatro anos. Isso em razão dessa ampla competitividade, o que foi possível usar esses recursos em políticas públicas através da transparência, através da inclusão desses empresários que antes não participavam das licitações”, afirma.

Emprego e renda – Ao valorizar as empresas da cidade, os resultados também vieram na geração de emprego e renda – Cascavel é a cidade paranaense que mais cria empregos nos últimos dois meses. “Nós estamos utilizando as boas práticas de gestão e buscamos o respaldo da sociedade. Compramos as mesmas coisas e prestamos os mesmos serviços, mas com economia do dinheiro resultado dos impostos recolhidos pelos moradores”, disse Zorek.

“Com a economia, os recursos foram investidos em várias políticas públicas tanto na área de saúde e de educação, como também em outras áreas. Todos devem conhecer essas boas práticas, do “Cascavel compra legal”, para levar para cada cidade no mundo”, completou.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="769611" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]