Um debate  engessado e sem emoção encerra o frente a frente entre os candidatos ao Governo do Estado

Pedro Ribeiro

 

Se o eleitor paranaense, principalmente o indeciso, esperava depositar sua confiança no futuro governador do Estado do Paraná, através do debate promovido nesta terça-feira, pela Rede Paranaense de Televisão, pode ter sair frustrado, depois de pouco mais de duas horas, onde os temas dirigidos pela emissora acabaram engessando os participantes daquele que deveria ser um efetivo debate político com ideias e propostas de governo.

O que assistimos foi um repetitivo programa de governo que passa diariamente na TV e rádio no horário gratuito à exceção de pequenas cutucadas na tentativa de desestabilizar os candidatos Ratinho Junior e Cida Borghetti , simulando conivência ao participar do governo Beto Richa que terminou em um vergonhoso desastre  com denúncias de corrupção e prisão de vários agentes públicos, inclusive o próprio ex-governador.

Dirigido pelo jornalista Sandro Dalpícolo, o debate da RPC TV foi xoxo, sem emoção e com certeza não deve ter agradado ao telespectador. Ratinho Junior, que lidera as pesquisas, foi novamente o mais atacado, principalmente pelo professor Piva, do PSOL, que insistia em sua participação na fatídigo 25 de abril que ficou conhecido como o “massacre da Praça Nossa Senhora da Salete”. O candidato não caiu na provocação e manteve sua postura. Lembrou que, como Secretário de Desenvolvimento Urbano, foi o que mais fez obras nos municípios e que nenhuma delas passou por questionamentos.


Ogier Buck novamente levantou a bola para a governadora Cida Borghetti ao perguntar sobre corrupção, sabendo que, nesta semana, ela tomou decisões pesadas sobre o tema que envolvia propinas no âmbito das concessões do Anel de Integração. A resposta foi fácil, estava na ponta da língua. Dr Rosinha novamente se prestou a defender Lula e o candidato do PT, Fernando Haddad, destacando, por duas ou três vezes, sua atuação como ex-ministro da Educação.

O candidato da oposição, João Arruda, foi pouco acionado e quando esteve com a palavra procurou levar aos cidadãos sua proposta de melhorar a vida dos paranaenses mais necessitados, afirmando que, em seu governo vai reduzir as tarifas de luz, água e botijões de gás, além de impostos para incentivar as pequenas e médias empresas a gerar mais empregos.

Cida Borghetti também questionou Ratinho Junior em relação à promessa de extinção de secretarias e fim das mordomias, lembrando que o próprio pediu um Jeep Pajero para uso pessoal. Em resposta disse que o veículo era do Paraná Cidade e ficou por isso mesmo.  Ratinho disse que cada secretaria de estado custa R$ 300 mil por mês, fora cargos de apadrinhamento,  e que vai diminuir o número com junção entre várias delas.

Sobre Segurança Pública, João Arruda disse que é preciso governador com os pés no chão, propostas viáveis que sejam claras e objetivas. Hoje não temos gasolina nas viaturas de polícias, que não tem sequer manutenção”, ressaltou João, em réplica a governadora, que foi vice de Beto Richa até abril deste ano.

“Hoje não temos colete a prova de bala que não estejam vencidos e os policiais tem que entrar na Justiça para conseguir um colete a prova de bala”, denunciou. Segundo João, “é preciso investir em armamento também”.

“Tenho visto propostas que são mirabolantes nesta campanha eleitoral, dizendo que vão trazer programa da China, da Califórnia (EUA) e até do Rio de Janeiro que tem um problema sério de segurança pública e sofreu até intervenção do governo federal”, frisou.

“No futuro a gente pode avançar, depois de consertar no sentido de ter um conselho comunitário eficiente, integração das polícias através das tecnologia, da informática, unidades móveis que sejam centros de inteligência”, listou João.

Ao encerrar, o candidato do MDB reforçou como a segurança pública será tratada já no primeiro dia do seu governo. “É preciso consertar, fazer com que o policial seja tratado como autoridade, respeitado pela comunidade, conhecido pelo nome e vice-versa”, conclui.

Sobre a Previdência, o candidato peemedebista lembrou que  “Richa, Cida e Ratinho utilizam dinheiro da Previdência dos servidores para pagar dívidas da própria gestão”, diz João

Durante o debate da RPC TV nesta terça-feira (2), o candidato ao Governo do Paraná, João Arruda (MDB) disse que vai acabar com a lei implantada no governo do Richa, do Ratinho e da Cida, para a retirada de R$ 140 milhões por mês do Fundo da Previdência.

“Isso tem que parar, pois logo não teremos mais dinheiro nem mesmo para pagar folha de pagamento. Essa lei que retira o dinheiro da previdência foi aprovada no dia 29 de abril de 2015, data do massacre do Centro Cívico, quando Ratinho e Cida estavam no governo”, disse João Arruda, ao responder a pergunta do candidato Dr. Rosinha.

Em relação à Reforma da Previdência na esfera nacional, João destacou que é contrário ao modelo já apresentado. “Sou contra essa proposta que está aí, pois acredito que temos que cortar privilégios de onde precisa cortar e jamais cortar direitos dos trabalhadores”, declarou.

No governo de João Arruda (MDB), as empresas estatais como Copel, Sanepar e Compagás continuarão sendo públicas e vão voltar a cumprir o papel no desenvolvimento social, afirmou o candidato a governador no 4º e último bloco do debate da RPC. “Nesse governo (de Beto Richa – Ratinho Jr e Cida Borghetti) os tubarões ganharam muito”, afirmou, se referindo à distribuição de lucros, à nomeação de conselheiros na Sanepar a à terceirização na Copel.

 

Post anteriorPróximo post
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.
Comentários de Facebook