Sintonia Fina
Compartilhar

Vianna assume a Itaipu e fala em estudos para baixar tarifa da energia

 Se depender da vontade política e dos esforços técnicos e científicos do ministro de Minas e Energia, Ferna..

Pedro Ribeiro - 27 de março de 2017, 14:03

 

ANÚNCIO

Se depender da vontade política e dos esforços técnicos e científicos do ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho, e do novo diretor-geral da Itaipu Binacional, Luiz Fernando Vianna, a tarifa de energia elétrica poderá sofrer redução de preço. Para o ministro, o preço da energia no Brasil é elevada, mas estão sendo feito estudos para que seu preço diminua com aumento de geração e distribuição, o que contribuiria para mover o crescimento e desenvolvimento da nação. Vianna, que assumiu nesta segunda-feira a Itaipu, responsável pela distribuição no país de 17% da energia gerada em suas turbinas, também concorda com o alto custo da energia na casa dos brasileiros e que também estará realizando estudos para tentar baixar o preço da tarifa.

Já o governador Beto Richa foi mais direto em seu discurso, explicando para mais de 500 pessoas que lotaram o auditório Poty Lazarotto do Museu Oscar Niemayer, que, graças à competência e assessoria da diretoria da Copel, não entrou na medida populista da ex-presidente Dilma Rousseff quando, em 2012, reduziu a tarifa da energia elétrica sem qualquer estudo e sem mediar as consequências futuras. Com isso, hoje, a Copel é uma das melhores empresas do país, a exemplo da Sanepar, na área de saneamento básico. Enquanto a Copel investiu R$ 14 bilhões, a Sanepar aplicou R$ 4 bilhões em saneamento tornado também, a melhora empresa da área do País Curitiba é a primeira em saneamento básico.

Na solenidade de posse, Jorge Samek, que deixou o cargo de diretor-geral da Itaipu e Luiz Fernando Vianna, que assumiu, foram os destaques. Samek fez um breve relato de sua atuação e foi bastante aplaudido. Vianna, que volta ao setor de origem também foi elogiado pelo setor de energia do país. Beto Richa dedicou parte de seu discurso para lembrar da competência e lealdade de Samek e da competência de seu amigo, inclusive da família, Vianna. O governador José Richa foi amigo do ex-prefeito de Foz do Iguaçu, Clovis Vianna, pai do atual diretor-geral da Itaipu.

ANÚNCIO

Vianna assinou o termo de posse no cargo de diretor-geral brasileiro de Itaipu na quinta-feira (23), em Foz do Iguaçu. Os diretores Marcos Antônio Baumgärtner (administrativo), Marcos Stamm (financeiro executivo) e Cezar Eduardo Ziliotto (jurídico), mantido no cargo, também participam da solenidade em Curitiba. A última transmissão de cargo de diretores-gerais brasileiros de Itaipu ocorreu em janeiro de 2003, no Canal da Música, também em Curitiba.

Com a nomeação dos três novos conselheiros, o Conselho de Administração da Itaipu Binacional, margem brasileira, conta agora com cinco integrantes. Os dois que já estavam no cargo são Marcos Bezerra Abbot Galvão, representante do Ministério de Relações Exteriores, e o embaixador Paulo Estivallet de Mesquita. Ambos também têm mandato válido até 16 de maio de 2020.

Há ainda duas vagas não preenchidas, já que o Conselho de Administração é formado por sete integrantes (tanto no Brasil como no Paraguai). Seis deles são conselheiros e o sétimo é o representante da chancelaria, que não tem direito a voto nas decisões do Conselho.

As atribuições e competências do Conselho de Administração são fixadas no Anexo A do Tratado de Itaipu e no Regimento Interno da Entidade. O Conselho realiza seis reuniões ordinárias por ano, de acordo com calendário aprovado na última reunião do exercício anterior. Excepcionalmente, podem ser convocadas reuniões extraordinárias.

A Itaipu

Com 20 unidades geradoras e 14.000 MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, mais de 2,4 bilhões de MWh. Em 2016, a usina retomou a liderança mundial em geração de energia, com a marca de 103.098.366 MWh gerados. A hidrelétrica é responsável pelo abastecimento de 15% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 75% do Paraguai.

 

 pedro.ribeiro