Padrão (nao usar)
Compartilhar

Ágatha e Bárbara batem Walsh e Ross e vão para final

Júlio Cesár Lima e Fernando GarcelAs brasileiras Ágatha e Barbara venceram a dupla norte-americana Walsh e Jennings Ross..

Redação - 17 de agosto de 2016, 01:08

Júlio Cesár Lima e Fernando Garcel

As brasileiras Ágatha e Barbara venceram a dupla norte-americana Walsh e Jennings Ross por 2 sets a zero e se classificaram para a final do vôlei de praia feminino. A decisão pela medalha de ouro acontece nesta quarta-feira, contra as alemãs Laura Ludwig e Kira Walkenhorst.

As norte-americanas estavam invictas na competição e haviam perdido apenas um set, ainda na fase de grupos. Agatha e Bárbara tinham uma derrota. Com um jogo praticamente perfeito e conseguindo anular o jogo da Walsh, a dupla brasileira venceu o primeiro set por 22 a 20, em 25 minutos.

Consistentes, as brasileiras não deram chances para as adversárias e impuseram 21 a 18 sobre as americanas no segundo set. As brasileiras voltam à quadra ainda hoje, às 23h59, contra as alemãs Laura Ludwig e Kira Walkenhorst, na briga pelo ouro. É a primeira vez que uma dupla europeia chega a final do vôlei de praia feminino chega a uma final olímpica. A outra dupla brasileira, Larissa e Talita, enfrentam, às 22h, a dupla norte-americana valendo a medalha de bronze.

O Jogo

As brasileiras começaram com a estratégia de preparar os ataques por trás da levantadora. Os times viravam seus ataques, até que as norte-americanas erraram um ataque e as brasileiras abriram 5 a 3. Ágatha e Bárbara foram mantendo vantagem até que, em erros e um bom bloqueio de Walsh sobre Bárbara, os EUA empataram: 9 a 9. Na parada técnica, a dupla brasileira campeã mundial vencia por 11 a 10.

Em bola disputada na rede, as norte-americanas viraram para 12 a 11. As brasileiras se mantiveram focadas e viraram em bola para fora de Ross. Ross, em contra-ataque, virou e aumentou a diferença para as norte-americanas: 18 a 16. O placar de reviravoltas continuou. Ataque das brasileiras e erro de recepção de Walsh: 19 a 18. Ponto a ponto, o time do Brasil fechou em ace de Bárbara.

As brasileiras continuaram bem no segundo set. Em contra-ataque de Bárbara, o time abriu 4 a 2. Ágatha passou a brilhar no bloqueio. Dois ‘paredões’ seguidos sobre Walsh e vantagem de quatro pontos. As norte-americanas empataram em erro de ataque de Bárbara: 8 a 8. No tempo técnico, as brasileiras venciam por 11 a 10.

Bárbara estava inspirada na defesa. Em contra-ataque perfeito da carioca, as brasileiras conseguiram aumentar novamente a vantagem: 13 a 11. Um rally em especial levantou a torcida. Defesas difíceis dos dois lados, encerradas com ponto brasileiro. As brasileiras não diminuíram o ritmo em nenhum momento e chegaram a 16 a 14.

Ágatha entrou em ação com sua arma forte. Bloqueio impressionante sobre Walsh e 17 a 14 no placar, causando pedido de tempo das norte-americanas. A torcida em Copacabana entrou na contagem regressiva. Uma largada de Ágatha, uma largada de Bárbara e uma diagonal potente de Ágatha deram o ponto do jogo às brasileiras. Walsh salvou a primeira. Na segunda, diagonal potente de Ágatha e decisão para as brasileiras.

A dupla

A carioca Bárbara e a paranaense Ágatha firmaram parceria no meio da temporada 2011, portanto, a mais longa entre as quatro duplas brasileiras na Rio 2016. O entrosamento dentro e fora de quadra resultou na conquista do Circuito Brasileiro nas temporadas 12/13 e 13/14. O primeiro ouro do time no Circuito Mundial foi no Open de Puerto Vallarta (MEX), em 2014. Naquele ano, terminaram na segunda colocação do ranking geral.

De acordo com a Confederação Brasileira de Vôlei, nasceu em Curitiba e teve o primeiro contato com o esporte em Paranaguá, no litoral do estado, em 1992, na quadra. Mudou para as areias em 2001, ao disputar um torneio convidada por uma amiga. E se apaixonou. Ela chegou a jogar ao lado da campeã olímpica Sandra Pires em 2005. Iniciou uma graduação em jornalismo, mas abandonou para se concentrar integralmente no vôlei de praia.