Agentes decretam paralisação e marcam protesto para amanhã

Roger Pereira


Os agentes penitenciários do Paraná vão fazer um protesto amanhã (quinta) em Curitiba para reclamar da falta de funcionários nas unidades do Estado. De acordo com a categoria, faltam cerca de mil e seiscentos profissionais para atender toda a demanda. Os agentes alegam que o número de vagas é o mesmo desde o concurso realizado em 2004. Ao contrário da população nos presídios do estado, que aumentou de 14 mil e 316 para pouco mais de 19 mil e 400 presos em seis anos. Segundo a presidente do sindicato dos agentes penitenciários, Petruska Sviercoski, todas as carcerárias estão no limite e correm o risco, principalmente, de fugas de presos.

No ato, os servidores vão reivindicar as promoções e progressões pendentes e a contratação de aprovados em concurso. A presidente afirma que, caso nenhum pedido seja atendido, há risco de a categoria entrar em greve.

O ato dos agentes penitenciários está marcado para às oito horas da manhã desta quinta-feira, em frente ao Palácio da Justiça. Em nota, o Departamento Penitenciário do Paraná, o Depen, afirma que o Estado tem um concurso vigente para o cargo de agente penitenciário, do qual 128 novos profissionais foram convocados em 2015. O concurso é válido até julho de 2017. Novas contratações dependem da análise de diversas secretarias de Estado envolvidas no processo. Ainda segundo o Depen, o Processo Seletivo Simplificado (PSS) que foi aberto neste mês, tem o objetivo de contratar mil e duzentos agentes de cadeia pública, para atender os presos provisórios, em delegacias, como também em Casas de Custódia. O processo é destinado a substituir os profissionais temporários que já atuam nas carceragens no Paraná. Ainda segundo a nota, o contrato tem término previsto para o próximo dia 20 julho.

Previous ArticleNext Article
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal