Padrão (nao usar)
Compartilhar

Câmara debate os direitos da mulher e o fim dos fogos de artifício

Da CMCOs dois projetos mais polêmicos apresentados na Câmara Municipal de Curitiba antes mesmo do início da atual..

Roger Pereira - 13 de fevereiro de 2017, 18:30

Da CMC

Os dois projetos mais polêmicos apresentados na Câmara Municipal de Curitiba antes mesmo do início da atual legislatura serão debatidos nesta semana em reuniões públicas promovidas pelo Legislativo municipal: a lei que proíbe cantadas nas ruas da cidade, estabelecendo multa ao assediador, e a lei que proíbe a venda de fogos de artifício na capital paranaense.

Maria Letícia Fagundes (PV) vai reunir, nesta terça-feira (14), às 14h, movimentos sociais para discutir políticas públicas em defesa dos direitos das mulheres. Além de presidente da Comissão de Saúde, Bem-Estar Social e Esporte, ela é autora de diversos projetos relacionados ao tema, como o que estabelece multa para quem for flagrado passando uma cantada ou o que dá prioridade às mulheres vítimas de violência doméstica em processos de seleção às vagas de emprego.

“Minha expectativa é a melhor possível. Sou a primeira vereadora que se elege com a causa da mulher. Estou organizando essa reunião com o coração aberto. Embora não pertença a grupo nenhum, acho que posso articular e ouvir todos eles”, disse Maria Letícia.

Foram convidados para o encontro: Rede de Mulheres Negras, União Brasileira de Mulheres, Marcha Mundial das Mulheres, Marcha das Vadias, Central Única das Favelas,  Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, Coletivo de Jornalistas Feministas Nísia Floresta, participantes do Fórum Popular de Mulheres, Coletivo da Frente Feminista de Curitiba, secretaria de Gênero, Relações Étnico-Raciais e Direitos LGBT, Comissão de Estudos de Violência Sobre Gênero da OAB-PR, Centro de Atendimento Multidisciplinar da Defensoria Pública do Estado do Paraná, ONU Mulher, Comissão de Apoio às Vítimas de Crimes da OAB-PR e familiares da menina Rachel Genofre, encontrada morta dentro de uma mala em 2008 – um crime até agora sem solução.

Fogos de artifício

Outra polêmica do início do ano partiu do projeto de lei, protocolado por Fabiane Rosa (PSDC), que proíbe queima, soltura e manuseio de fogos de artifício e artefatos pirotécnicos. Uma reunião, convocada pela vereadora para esta quarta-feira (15), às 14h30, vai debater a viabilidade da proposta. Ela também preside a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

“Quero debater o assunto com diversos segmentos da sociedade buscando mais informações para complementar o projeto. O assunto é polêmico e justamente por isso deve ser amplamente discutido”, destaca Fabiane.

Foram convidados o deputado estadual Stephanes Junior (PSB); secretário municipal do Meio Ambiente, Sergio Tocchio; a superintendente da secretaria, Marilza Dias; o procurador do Ministério Público na área de meio ambiente, Robertson Fonseca; o presidente da Associação Industrial e Comercial de Fogos de Artifício do Paraná, Rodolpho Aymoré Gazabin Junior; a enfermeira responsável pelo Centro Cirúrgico de Queimados do Hospital Evangélico, Cynthia Veiga; o médico veterinário da PUCPR, Eros Luiz de Souza; a médica veterinária e membro do Instituto Abolicionista Animal, Andrea Barros; psicólogos, socorristas, advogados, protetores e ativistas.