Padrão (nao usar)
Compartilhar

Começa hoje o primeiro censo populacional de cães e gatos de Curitiba

Da CBN CuritibaComeçou nesta sexta-feira (20) a primeira etapa da pesquisa populacional de cães e gatos de Curitiba, que..

Mariana Ohde - 20 de janeiro de 2017, 10:40

Da CBN Curitiba

Começou nesta sexta-feira (20) a primeira etapa da pesquisa populacional de cães e gatos de Curitiba, que deve se estender até o fim do ano, com aplicação de aproximadamente 9 mil questionários em todas as regionais da cidade.

Entre hoje e sábado (21), o grupo de 40 pesquisadores vai coletar os dados junto à comunidade da regional do Cajuru.

A pesquisa é coordenada pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), com apoio da Rede de Proteção Animal da Prefeitura. Segundo o coordenador do censo e professor do curso de medicina veterinária da UFPR, Alexander Biondo, a pesquisa vai levantar informações que permitem o direcionamento das políticas públicas voltadas aos animais, como as castrações gratuitas oferecidas pela prefeitura. "Sem este ponto zero, que nós chamamos, eu não consigo avaliar a eficácia e eficiência dos programas da prefeitura", explica. "Não adianta nada eu castrar mil, dois mil, três mil cães na regional do Cajuru se eu não sei quantos cães tinha e quantos eu tenho agora", diz.

Serão aplicados 900 questionários em cada uma das dez regionais. São 30 perguntas, como a idade dos animais, se já foram castrados, o histórico de doenças, e se andam sozinhos pelas ruas. Segundo o professor, cada regional vai ser analisada de maneira independente. "O que nós decidimos junto à gestão e à Rede de Proteção Animal foi fazermos as regionais independentemente. Cada regional, começando hoje pelo Cajuru, será feita como se fosse um município independente. O que significa isso: que o resultado que sair aqui do Cajuru amanhã, são 900 questionários, nós já teremos o suficiente para dizer como que se situa o Cajuru", explica.

A UFPR também faz a aplicação dos questionários, realizada por estudantes e professores do curso de medicina veterinária, além de voluntários e colaboradores da Rede de Proteção Animal.