Empresário vai a juri popular acusado de mandar matar advogada que defendia ex-mulher

Andreza Rossini


Da BandNews Curitiba

Começou nesta quinta, (21), no Tribunal do Júri, o julgamento do empresário Vanderson Correa, acusado de assassinar a advogada Kátia Regina Leite. Ela foi morta em 2010 com cinco tiros na cabeça, quando saía de casa, no bairro Boa Vista, em Curitiba. Familiares e amigos da advogada acompanham o julgamento. O júri teve início por volta de 8h30. Devem ser ouvidas, ao todo, 14 testemunhas. Por isso, a previsão é de que o julgamento só termine na próxima segunda-feira.

A diretoria da OAB Paraná também está presente no Tribunal. A Ordem acompanha o caso desde o início, por haver fortes indícios de que a motivação do crime foi a atuação profissional da vítima. Advogada durante mais de 20 anos, Kátia Regina Leite comandou por uma década o setor jurídico do Conselho da Condição Feminina, atuou como secretária-geral adjunta na subseção de Curitiba e, cerca de um mês antes de ser morta, havia sido aprovada em concurso para trabalhar na Paraná Previdência. Ela tinha 44 anos e deixou três filhos.

A prisão preventiva de Vanderson Benedito Correa foi decretada em 2015 pela 2ª Vara do Tribunal de Júri de Curitiba. Pedidos de liberdade foram negados tanto pelo Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) quanto pelo relator de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ). A defesa do empresário nega as acusações. O outro réu do processo, Flávio Vasques Oliveto, era policial militar na época do crime. Ele está preso na Casa de Custódia de São José dos Pinhais desde 2015 e aguarda julgamento da apelação no TJ.

Previous ArticleNext Article