No último debate, Greca e Ney apelam aos que pretendem anular o voto

Roger Pereira


Em menos de uma semana, tudo mudou na estratégia dos dois candidatos que disputam o segundo turno das eleições municipais em Curitiba. Se, domingo, no debate da RIC TV Record, Rafael Greca (PMN) e Ney Leprevost (PSD) passaram o programa todo se provocando e trocando acusações, nesta sexta-feira, na RPCTV, afiliada da Rede Globo no Paraná, não houve um único momento de ataque, com os candidatos discutindo questões da cidade. Em comum, os dois candidatos apelaram aos eleitores que pretendem anular o voto ou se abster da eleição de domingo. Eleitorado que já foi elevado no primeiro turno e tende a crescer ainda mais no dia 30, inclusive por conta da campanha agressiva que os dois candidatos apresentaram na reta final.

Greca fez o apelo já em sua primeira fala do debate, ao responder à primeira pergunta de Leprevost, cumprimentou os telespectadores e dirigiu sua saudação aos que pretendem votar nulo, em branco ou se abster da votação, destacando a importância do voto e o risco da omissão em um momento decisivo para a cidade. “Curitiba merece uma escolha consciente”., disse. Ney deixou para se dirigir aos eleitores que não pretendem votar em nenhum dos dois nas considerações finais. “Estudo cada um dos 75 bairros de Curitiba e as soluções que eles precisam para os seus problemas. Eu quero administrar Curitiba com eficiência, honestidade, com inteligência”, afirmou.

Durante o programa, os candidatos discutiram propostas para a saúde, como a construção de um hospital oncopediátrico na cidade, defendida por ambos, a melhoria na gestão das consultas de médicos especialistas e a ampliação do número de leitos psiquiátricos. Discutiram, também, o transporte público, com Ney Leprevost reafirmando sua promessa de reduzir, dentro de 90 dias, a tarifa entre R$ 0,10 e R$ 0,15 e Greca propondo a diminuição da tarifa nos horários de menor movimento e a criação de um cartão de uso por tempo determinado.

O único momento de embate foi quando Greca perguntou ao candidato do PSD se ele tinha conhecimento do Orçamento da cidade para fazer as promessas que fez em sua campanha, como a redução da tarifa do ônibus, o suprimento da demanda por vagas em creches e a distribuição de leite para todas as crianças da rede municipal de ensino. “Curitiba tem um orçamento de R$ 9 bilhões, com R$ ! bilhão para investimentos. Além da possibilidade de reduzir custos com o corte de 40% dos cargos comissionados e de firmar parcerias com o governo federal, é sim, possível, fazer o que estamos nos propondo a fazer. E reafirmo, custe o que custar, por mais que isso desagrade muitos poderosos, vamos reduzir a tarifa do ônibus”, declarou Ney. “A prudência fiscal aconselha a não prometer tanto para não falhar. A malha viária tem que ser conservada, a contrapartida da linha verde tem que ser feita”, lembrou Greca, na réplica.

Previous ArticleNext Article
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal