PV fecha com Fruet e repete 2012

Roger Pereira


Por unanimidade, o Partido Verde aprovou, em convenção realizada neste sábado, a coligação com o PDT e o apoio à reeleição do prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, nas eleições municipais de outubro. Líder do prefeito na Câmara Municipal de Curitiba, o vereador Paulo Salamuni conduziu o encontro que levou o PV a repetir a aliança bem-sucedida de 2012. Na eleição proporcional, o PV terá chapa puta na disputa. “Estamos juntos na majoritária e com um exército de candidatos a vereador para defender as transformações que Curitiba passou nestes últimos anos”, disse Salamuni a Fruet, que participou da convenção.

O vereador disse prever uma eleição bastante acirrada por conta do clima político que toma conta do país, mas ressaltou que o prefeito vai para a disputa respaldado pela melhora de todos os indicadores sócio-econômicos e ambientais da cidade e pela “austeridade e seriedade com que conduziu o município”. Para ele, a prova de que a candidatura a reeleição de Fruet é competitiva é o fato de seus dois principais adversários em 2010, Ratinho Júnior e Luciano Ducci, terem preferido não se candidatar neste ano.

“Por que o ex-prefeito não quis disputar? Por que o candidato mais votado no primeiro turno do ano passado não quis disputar? Porque sabem que não poderão comparar as administrações ou os projetos”, disse. Então, vamos disputar contra um ex-prefeito cujas contas ainda estamos pagando há 25 anos”, declarou, alfinetando Rafael Greca (PMN) e dando a deixa para que Fruet iniciasse seu discurso.

“Curitiba não vai voltar atrás. Vamos continuar seguindo em frente”, emendou o prefeito”, também em referência a Greca. Afirmando que sua administração teve a melhor evolução de indicadores da história, mesmo em meio à crise e à ausência de recursos, Fruet disse que sua gestão foi à sustentabilidade, inovação e atenção as pessoas, “com obras que talvez não apareçam tanto, mas que são fundamentais para quem precisa da cidade”. “O eleitor terá que optar entre a cidade do espetáculo e da ostentação ou a cidade sustentável e humana”, disse.

O prefeito também reconheceu a dificuldade da próxima eleição, por conta da aversão dos cidadão à política e à justificável descrença dos eleitores com os governantes. “Muitos prefeitos sequer vão disputar à reeleição por conta deste cenário. Mas nós tivemos a coragem de sair na rua de peito aberto, recebendo as duras críticas, mas mostrando o que estamos fazendo pela cidade, sem enganar o povo”, afirmou.

Previous ArticleNext Article
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal