ʽGrande motoqueiro o Brasil tem; péssimo presidente o Brasil temʼ, afirma Aziz

Raquel Lopes - Folhapress e Renato Machado - Folhapress

CPI da Covid recorre ao STF e obtém aval para agir contra silêncio sistemático de depoentes

Pouco antes de suspender a sessão, o presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), criticou duramente Jair Bolsonaro, afirmando que ele é um “péssimo” presidente da República, um agressor de mulheres e um líder sem sensibilidade.

Aziz se exaltou para criticar inicialmente os senadores governistas que defenderam Roberto Ferreira Dias, que foi detido na semana passada, durante depoimento.

Reportagem do jornal Folha de S.Paulo mostrou denúncia do policial militar Luiz Paulo Dominghetti, que afirma ter recebido pedido de propina de US$ 1 por dose de vacina, de Dias.

O presidente da CPI rebateu acusações de abuso de autoridade durante a prisão de Dias.

“Abuso de autoridade é ser complacente com esse governo de um presidente que é incapaz de ser solidário aos brasileiros, um presidente que abre a boca para assacar contra quem se contrapõe a ele, um presidente motoqueiro”, afirmou, em referência aos frequentes passeios de moto de Bolsonaro, promovendo aglomerações.

“O Brasil tem um presidente motoqueiro, que em vez de ir nos estados e municípios visitar hospital e visitar uma família que perdeu um ente querido, vai assacar contra os adversários”, completou.

Em seguida, Aziz fez sua crítica mais forte, acusando o presidente de ser agressivo com mulheres, além de ser um péssimo chefe da nação.

“É uma pessoa que não tem sensibilidade, agressor de mulheres, gosta de gritar com as mulheres, mas adora andar de moto. Grande motoqueiro o Brasil tem; péssimo presidente o Brasil tem”, afirmou.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="775256" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]