Conheça o juiz que deve assumir vaga deixada por Moro na Lava Jato

Andreza Rossini e Francielly Azevedo - CBN Curitiba


O prazo para inscrição dos juízes federais interessados na vaga deixada por Sérgio Moro, na 13ª Vara Federal do Paraná, responsável pelas ações da Operação Lava Jato em Curitiba, terminou às 24 horas de segunda-feira (21).

Os nomes dos concorrentes foram divulgados pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) na manhã de hoje.  A vaga será preenchida por meio de concurso de remoção interna de juiz federal. Foram 25 magistrados inscritos.

Conforme o edital, todos os juízes que atuavam na região sul podiam se candidatar. A preferência pela vaga é por critério de antiguidade.

Ainda segundo o TRF4, os cinco magistrados mais antigos inscritos para a 13ª Vara Federal de Curitiba são: Luiz Antonio Bonat (1º na lista de antiguidade), Julio Guilherme Berezoski Schattschneider (19º na lista de antiguidade), Friedmann Anderson Wenppap (70º na lista de antiguidade), Antonio Cesar Bochenek (106º na lista de antiguidade) e Marcos Josegrei da Silva (111º na lista de antiguidade).

Dessa forma, Luiz Antônio Bonat deve assumir o cargo. Ele é juiz federal há 25 anos, nascido e formado em Curitiba. Já atuou em Foz do Iguaçu, Criciúma e na capital do Paraná. É mestre em direito pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e titular da 21ª Vara Federal de Curitiba, que atua na área previdenciária.

Entre os casos marcantes da carreira, está a condenação de uma empresa em um caso de danos ambientais às margens do Rio Urussanga, quando era juiz federal em Santa Catarina.

Moro deixou a 13ª Vara Federal de Curitiba para assumir o cargo de Ministro da Justiça no governo de Bolsonaro (PSL).

Juiz Luiz Antonio Bonat Foto: Nathan D’Ornelas

Trâmite

 

De acordo com o edital do concurso de remoção, os magistrados têm até as 24 horas do dia 24 de janeiro para manifestações de desistência.

A partir do dia 25 de janeiro, o processo administrativo de concurso de remoção é encaminhado para o relator, o corregedor regional do Tribunal , desembargador federal Ricardo Teixeira do Valle Pereira. Ele que deve levar o processo para julgamento ao Conselho de Administração do tribunal, de acordo com o Regimento Interno do TRF4.

Após o julgamento do processo, ainda sem data definida, o presidente da Corte, desembargador federal Thompson Flores, assina a decisão do Conselho de Administração, composto pelo presidente e pelos desembargadores federais Maria de Fátima Freitas Labarrère (vice-presidente), Ricardo Teixeira do Valle Pereira (corregedor), João Pedro Gebran Neto e Leandro Paulsen, sendo suplentes as desembargadoras federais Marga Inge Barth Tessler e Salise Monteiro Sanchotene.

Somente após esse trâmite o nome do magistrado que deve ocupar a 13ª Vara Federal de Curitiba será definido.

Julgado no Conselho de Administração, o processo é encaminhado para Corregedoria Regional da Justiça Federal da 4ª Região, que determina a data da entrada em exercício e publica o ato de remoção no Diário Eletrônico da Justiça Federal da 4ª Região.

Previous ArticleNext Article