Luiz Antonio Bonat vai substituir Moro na Lava Jato

Redação


Os processos da Operação Lava Jato já têm um novo responsável na 13ª Vara Federal de Curitiba, em substituição ao ex-juiz federal e atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

O nome de Luiz Antonio Bonat foi homologado por unanimidade pelo Conselho de Administração do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). Agora, o processo será encaminhado para a Corregedoria Regional, que determina a data em que Bonat começa atuar e publica o ato de remoção do antigo juiz federal no Diário Eletrônico.

Hoje, o juiz federal está convocado para substituir o desembargador federal Fernando Quadros da Silva, na Turma Suplementar do Paraná, onde deve permanecer até o dia 19 deste mês. Antes de ser escolhido para substituir o ex-juiz federal Sérgio Fernando Moro, Bonat exercia a titularidade da 21ª Vara Federal de Curitiba, especializada em matéria previdenciária.

Bonat foi o candidato mais antigo inscrito para concorrer à vaga deixada por Moro. Ele atua desde 1993 e, por isso, tinha preferência na seleção. No total, 25 magistrados da região Sul estavam concorrendo.

Luiz Antonio Bonat nasceu em Curitiba e tem 64 anos. Ele se formou em direito, em 1979, na Faculdade de Direito de Curitiba, tem especialização em Direito Público, pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), e foi servidor da Justiça antes de se tornar juiz. Ele ingressou na Justiça Federal como servidor em 1978, na 1ª Vara Federal de Curitiba, onde foi Auxiliar e Técnico Judiciário, e na 7ª Vara Federal de Curitiba, onde exerceu o cargo de Diretor de Secretaria.

Em 1993, ele assumiu a 1ª Vara Federal de Foz do Iguaçu e já atuou, também, na 3ª Vara Federal de Curitiba. Quando foi para a 1ª Vara Federal de Criciúma (SC), proferiu a primeira sentença de condenação penal de pessoa jurídica no Brasil, por crime ambiental. O magistrado já atuou no TRF4 como juiz federal convocado para auxílio e substituição a desembargadores.

Antes de Bonat, os processos da Lava Jato foram conduzidos pela juíza Gabriela Hardt, que, nesta semana, proferiu a segunda sentença condenando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 12 anos e onze meses no caso do sítio de Atibaia (SP).

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="592864" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]