camara de tamarana
Compartilhar

Justiça abre processo contra ex-ministro Geddel

O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal em Brasília, aceitou nesta terça-feira, denúncia contra o ex-min..

Roger Pereira - 22 de agosto de 2017, 22:00

O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal em Brasília, aceitou nesta terça-feira, denúncia contra o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) por obstrução de Justiça. Com isso, o peemedebista passa à condição de réu e responderá a ação penal por ter, supostamente, atuado para evitar a delação premiada do corretor Lúcio Funaro, que poderia implicá-lo em crimes de corrupção na Caixa Econômica Federal.

"Está demonstrada, até agora, a plausibilidade das alegações contidas na exordial acusatória, em face da circunstanciada exposição dos fatos tidos por criminosos e das descrições das condutas em correspondência com os documentos constantes dos autos", sustenta o magistrado em sua decisão. Na denúncia, o MPF sustenta que, após a prisão de Funaro, o ex-ministro monitorou e teve uma série de contatos com a mulher do operador, Raquel Pitta, com a intenção de influenciá-la a convencer Funaro a não firmar acordo de delação premiada (o acordo foi formalizado hoje).

A suposta pressão foi confirmada pelo casal em depoimentos aos procuradores. Oliveira destacou na decisão em que abre a ação penal laudo da Polícia Federal, que atesta ao menos 16 ligações de Geddel para Raquel, além dos depoimentos dela e do marido, que confirmaram a atuação do ex-ministro para evitar a delação.