Política
Compartilhar

Pastoral da Criança quer que primeira infância seja prioridade para o próximo presidente

Colocar a primeira infância na agenda dos candidatos à Presidência da República. Esse é o objetivo da Pastoral da Crianç..

Cristina Seciuk - CBN Curitiba - 04 de setembro de 2018, 22:34

Foto: Valdecir Galor / SMCS
Foto: Valdecir Galor / SMCS

Colocar a primeira infância na agenda dos candidatos à Presidência da República. Esse é o objetivo da Pastoral da Criança, que convidou, formalmente, os 13 presidenciáveis para visitar o Museu da Vida, em Curitiba.

O espaço foi criado em 2014, junto à sede da Pastoral, e atualmente tem em cartaz duas exposições: a primeira sobre a importância dos primeiros mil dias de vida e outra com a temática “Saneamento básico e eleições”, em parceria com o Instituto Trata Brasil.

De acordo com o coordenador internacional da Pastoral da Criança, Nelson Arns Neumann, a carta-convite foi encaminhada a todas as candidaturas assim que elas foram confirmadas. "A gente fez um convite a todos os candidatos, insistimos, porque a gente quer colocar a criança como prioridade, conforme está escrito na Constituição".

A ideia do convite é abrir o diálogo com os pleiteantes à Presidência sobre a atuação da Pastoral, além de discutir formas de fortalecer o acesso ao saneamento básico no país. Uma das estratégias apontadas é a atuação em conjunto para viabilizar a implantação de redes de água e esgoto em áreas pobres já consolidadas das cidades brasileiras.

O coordenador da Pastoral destaca que saneamento básico também é saúde pública, e que deve ser aliado aos cuidados adequados na chamada na primeira infância para garantir a formação de cidadãos saudáveis.

"O cuidado na gestação, nos dois primeiros anos de vida, vão determinar as chances de essa pessoa ser diabética, hipertensa, colesterol alto, osteoporose. Imagina a carga que isso causa para a saúde: nasceu com baixo peso, o dobro de risco de diabetes na idade adulta. É custo pessoal e custo para o Estado", explica.

Ainda ao destacar a importância do tema para a sociedade e justificar a cobrança para que ele seja incluído nas prioridades do futuro presidente, Nelson Arns Neumann citou os efeitos de longo prazo dos cuidados nos primeiros anos de vida, classificados como retorno garantido aos investimentos na área.

"Um dos exemplos interessantes do Brasil é que a criança que mamou no peito por mais de um ano ganha R$ 341 a mais por mês do que aquela que mamou pouco. Viram que o QI é aumentado, a resistência às infecções, essas doenças a menos que ela tem par ao resto da vida, propiciam melhor emprego e melhor renda", afirma. "É um baita investimento que o Estado pode fazer com retorno para a criança e para a sociedade como um todo".

A expectativa da Pastoral é de que os candidatos atendam ao convite quando passarem pela cidade. Foi o caso do pedetista Ciro Gomes, que incluiu a visita ao museu na sua programação do último sábado (1º), quando esteve no Paraná fazendo atos de campanha.

Fundada em 1983, a Pastoral da Criança atua junto às crianças, gestantes e famílias mais pobres, no Brasil e em outros 10 países. Atualmente, a organização acompanha aproximadamente 1 milhão de gestantes e crianças de zero a seis anos, em mais de 29 mil comunidades de todos os estados brasileiros.