Imóveis de Aécio são alvos de mandados de busca e apreensão

Redação


A Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF) cumprem mandados de busca e apreensão em imóveis que pertencem a Aécio Neves (PSDB) e de sua irmã, Andréa Neves, no Rio de Janeiro e em Minas Gerais, na manhã desta terça-feira (11).

Também são alvos a deputada e ex-ministra do Trabalho, Cristiane Brasil (PTB-RJ); o presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força (SD-SP); Benito da Gama (PTB-BA); os senadores Antonio Anastasia (PSDB-MG) e Agripino Maia (DEM-RN), além de empresários suspeitos de emitirem notas fiscais frias e realizarem doações para Aécio, para ajudar na arrecadação de caixa 2.

Ao todo, são cumpridos 24 mandados de busca e apreensão, assim como 48 intimações para oitivas no Distrito Federal, em São Paulo, Rio Grande do Norte, Bahia, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Amapá, além de Rio de Janeiro e Minas Gerais. A Operação Ross, como foi chamada a ação, é um desdobramento da Operação Patmos.

São investigados os crimes de corrupção passiva, organização criminosa, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

A ação está relacionada a uma operação que tem como base as delações de Joesley Batista e Ricardo Saud, ambos da J&F. Eles apontaram o pagamento de propina em valor superior a R$ 100 milhões a Aécio, que também é suspeito de compra o apoio político do Solidariedade por R$ 15 milhões.

Os mandados de busca e apreensão foram autorizados a partir do inquérito 4.519, cujo relator é o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF).

O nome da Operação Ross é referência ao explorador britânico que dá nome à maior plataforma de gelo do mundo, na Antártida, fazendo alusão às notas fiscais frias que estão sendo investigadas, segundo a PF.

Previous ArticleNext Article