Francischini afirma que Previdência é prioridade na CCJ

Redação e Francielly Azevedo - CBN Curitiba


O presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados, Felipe Francischini (PSL-PR), afirmou, nesta sexta-feira (12) que dois projetos de peso devem ser analisados em breve: a reforma da Previdência, que é prioridade e já está em tramitação, e a proposta que amplia o orçamento impositivo.

Em entrevista coletiva, em Curitiba, ele afirmou que a previsão é a de que a reforma da Previdência seja discutida a partir de segunda-feira (15). O orçamento impositivo também pode entrar na pauta da próxima semana, segundo o deputado. A ordem só deve sofrer alterações caso um requerimento de inversão de pauta seja apresentado, pois, segundo ele, o plenário da CCJ é soberano.

Francischini falou sobre o esforço do governo federal para a aprovação da reforma da Previdência. Segundo Francischini, Bolsonaro se elegeu de forma “atípica”, com apenas dois partidos de apoio – o PSL, de Bolsonaro, e PRTB, do vice Hamilton Mourão.  Agora, há um esforço para engrossar o apoio. “Estão fazendo trabalho de corpo a corpo, conversando individualmente com cada deputado, começando pelos membros da CCJ”, disse.

O deputado ainda afirmou que os líderes do governo e oposição devem se reunir para evitar “obstruções desnecessárias”. “Todos os líderes com quem conversei me disseram que vão se reunir no fim de semana”, contou. Segundo ele, há 90 deputados inscritos para debater a proposta, o que pode gerar reuniões longas. Mas é possível que a votação ocorra na terça ou quarta-feira.

“Após dez oradores, pode ser apresentado pedido de encerramento de discussão, mas acredito que está caminhando para todos falarem, o que pode significar mais de 20 horas de debate”. O deputado afirmou, ainda, que em uma conjuntura de “instabilidade política”, é “difícil” estabelecer prazos, mas ele acredita que as matérias devem ser analisadas ainda neste mês.

Para Francischini, ainda há melhoras a se fazer na articulação do governo, mas já há condições para a aprovação. “Pelo menos na etapa da CCJ, eu vejo que há condições de superarmos a votação na semana que vem de maneira que se aprove o parecer do relator”. Na semana passada, o relator da reforma da Previdência na CCJ, Marcelo Freitas (PSL-MG), votou pela admissibilidade total da proposta.

“A única chance que temos nesse curto prazo de aprovar um projeto de relevância é a reforma da Previdência”, disse. “A decisão que tomo hoje é um foro meu, como presidente da comissão, de que a pauta nossa é a Previdência. Item um, a Previdência, item dois, a PEC do orçamento impositivo”, reforçou.

Previous ArticleNext Article