Assembleia do Paraná vai licitar serviço de publicidade por R$25 milhões

Redação


O processo para contratação do serviço de publicidade para a Assembleia Legislativa do Paraná está em fase de finalização do edital e vai pagar R$ 25 milhões para até três agências de publicidade selecionadas. O contrato terá duração de 12 meses, podendo ser renovado por mais 60 meses, conforme prevê a lei.   A expectativa é de que o documento com as regras para participar da disputa esteja pronto dentro de 15 dias e seja publicado até julho.

A iniciativa é inédita no legislativo paranaense e a verba foi destinada para elaboração de campanhas institucionais que divulguem o trabalho dos parlamentares, a exemplo do que já acontece em outras assembleias estaduais.    Segundo a diretora de comunicação da casa, Kátia Chagas,  “a assembleia vai dar um salto de qualidade no trabalho que vem sendo realizado. Nessa parceira que será definida a partir da licitação, será possível divulgar mais os projetos apresentados e as atividades que são feitas. Esse assunto já está sendo discutido faz tempo e essa é uma prática que já está sendo adotada em outros estados”.

Na semana passada os representantes interessados em concorrer, participaram de uma reunião com a equipe técnica que está cuidando da elaboração das regras.  Vários critérios devem ser levados em consideração e vencerá quem atingir 80 pontos ou mais na avaliação, dentro do valor de R$25 milhões.  Atualmente, 19 assembleias possuem oficialmente serviço de publicidade contratado.

“Vamos fazer esse processo da maneira mais transparente possível, estamos trazendo todos os representantes das agências de publicidade para demonstrar que há transparência nesse processo”, afirma Kátia Chagas.

A principal dificuldade encontrada para a formulação do edital foi a inexistência de um histórico da própria Assembleia, que nunca teve um contrato de publicidade. Por isso, uma comissão foi criada para buscar exemplos do governo federal e de outros estados e se dedicar a compreender todas as exigências legais para esse tipo de contratação. “Pela primeira vez a Assembleia vai ter uma agência de publicidade, para fazer publicidade institucional. Não pessoal, não personalizada, de instituição. Partiu-se do pressuposto que a sociedade paranaense conhece muito pouco o papel da Assembleia na vida dos paranaenses. O principal desafio foi pelo desconhecimento das pessoas, pelo não hábito de se fazer publicidade na Assembleia. Foi o choque inicial de explicar para todo mundo a importância disso”, explica Marlo Litwinski, coordenador da comissão de licitação.

O edital será avaliado pela Procuradoria Jurídica da Assembleia antes de ser publicado em Diário Oficial.

 

Previous ArticleNext Article