Política
Compartilhar

Ministro e deputado federal são alvos de operação que investiga fraudes no Trabalho

A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta quinta-feira (5), mais uma fase da Operação Registro Espúrio, contra fraudes no ..

Mariana Ohde - 05 de julho de 2018, 08:08

Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta quinta-feira (5), mais uma fase da Operação Registro Espúrio, contra fraudes no Ministério do Trabalho. Foram cumpridos dez mandados de busca e apreensão na Superintendência Regional do Trabalho no Rio de Janeiro, no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e na Câmara dos Deputados. Também há três mandados de prisão temporária.

Estão entre os alvos o ministro do Trabalho, Helton Yomura, e o deputado federal Nelson Marquezelli (PTB-SP).

Esta é terceira fase da operação que identificou concessões irregulares de registros sindicais pela Secretaria de Relações do Trabalho. As medidas foram autorizadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin.

Segundo o MPF, os investigados utilizavam os cargos para viabilizar a atuação da organização criminosa e para solicitar tratamento privilegiado a processos de registros sindicais. A PF informa que "importantes cargos da estrutura do Ministério do Trabalho foram preenchidos com indivíduos comprometidos com os interesses do grupo criminoso, permitindo a manutenção das ações ilícitas praticadas na pasta".

Operação

A Registro Espúrio investiga uma organização criminosa estruturada voltada à prática de corrupção ativa e passiva, bem como lavagem de dinheiro na concessão irregular de registros sindicais pela Secretaria de Relações do Trabalho.

Deflagrada em 30 de maio, a operação já identificou a participação de servidores e parlamentares que se utilizaram dos cargos para manipulação de processos de registros sindicais na Secretaria de Relações de Trabalho. Em 12 de junho, foi realizada a segunda etapa que envolveu buscas e apreensões.