Política
Compartilhar

A política ainda não mudou, mas vai mudar, diz ministro Barroso durante palestra em Curitiba

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, participou de uma palestra no 3º Fórum Transparência..

Francielly Azevedo - 21 de maio de 2018, 11:09

Foto: Fabio Buchmann &#124 CBN Curitiba
Foto: Fabio Buchmann &#124 CBN Curitiba

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, participou de uma palestra no 3º Fórum Transparência e Competitividade, nesta segunda-feira (21), em Curitiba. Antes de ministrar a palestra, Barroso não gravou entrevista, mas conversou com a imprensa e disse que "a política ainda não mudou, mas vai mudar", quando foi questionado sobre o fim da corrupção. O evento foi organizado pela Federação das Indústrias do Paraná (FIEP), em parceria com o Cifal Curitiba e o Instituto das Nações Unidas para Treinamento e Pesquisa (Unitar).

"Enfrentar a discriminação, lutar pelo tratamento igualitário entre homens e mulheres, a postura ética. Portanto como eu vejo: a sociedade já mudou e se mobilizou, a iniciativa privada está mudando profundamente, o judiciário está mudando lentamente e a política ainda não mudou, mas vai mudar", afirmou o ministro.

O fórum é organizado pela FIEP com o intuito de disseminar, entre as indústrias paranaenses, a necessidade de implantação de programas de integridade. O presidente do Sistema FIEP, Edson Campagnolo, disse que a entidade está preocupada com a corrupção, principalmente em ano eleitoral. "Nós estamos preocupados com essas questões também. 2018 é um ano crucial. Essas pessoas que estão diretamente envolvidas com a corrupção estão sendo julgadas pela Justiça, então nada melhor que o ministro Barroso para mostrar como este combate acontece nas instâncias superiores", disse.

Campagnolo também ressaltou que além da política, a corrupção também está presente nas empresas. "São dois ambientes, tem a questão de ordem política, onde existe uma corrupção onde ela transita dos dois lados com o corrupto e corruptor. Mas também nas empresas é preciso combater a corrupção", destacou.