Advogados de Lula dizem que prisão é ilegal pois ainda cabem recursos

Roger Pereira


Após a decisão do juiz Sérgio Moro de determinar a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o advogado do petista, Cristiano Zanin, foi ao Instituto Lula encontrar seu cliente. Meia hora depois, o ex-presidente saiu ao lado do advogado num carro sem dar declarações.
Em nota, o advogado afirmou que o mandado de prisão é ilegal e contraria a decisão do próprio TRF4, de autorizar a prisão após o esgotamento da possibilidade de recursos na segunda instância, visto que ainda cabia mais um recurso ao tribunal de Porto Alegre. “A expedição de mandado de prisão nesta data contraria decisão proferida pelo próprio TRF4 no dia 24/01, que condicionou a providência – incompatível com a garantia da presunção da inocência – ao exaurimento dos recursos possíveis de serem apresentados para aquele Tribunal, o que ainda não ocorreu”, disse. “A defesa sequer foi intimada do acórdão que julgou os embargos de declaração em sessão de julgamento ocorrida no último dia 23/03. Desse acórdão ainda seria possível, em tese, a apresentação de novos embargos de declaração para o TRF4”, acrescentou.

Responsável pela defesa de Lula no julgamento de quarta-feira no Supremo Tribunal Federal, o advogado José Roberto Batochio, que, também integra a banca de defesa do petista, também criticou o que chamou de “volúpia de prender”. “O problema é que o processo não acabou no TRF-4. Ainda cabe recurso. Essa volúpia de prender revela a arbitrariedade sem fim. Os falcões estão expondo as garras”, disse.

Nenhum dos defensores do petista comentou se Lula cumprirá a determinação de Moro de se apresentar à Polícia Federal em Curitiba até as 17h de sexta-feira.

Previous ArticleNext Article
Repórter do Paraná Portal
[post_explorer post_id="515530" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]